Metrópoles brasileiras: o reflexo da segregação sócio-espacial

Raquel Chaffin Cezario, Rodrigo da Costa Caetano

Resumo


O presente ensaio é um breve estudo sobre a segregação sócio-espacial nas metrópoles brasileiras. As metrópoles, além de serem símbolos de riqueza, modernidade e acesso a serviços e tecnologia de ponta, também representam a segregação sócio-espacial, sendo marcadas pela divisão centro x periferia, que também reflete a atuação do poder público como articulador do espaço urbano. Essa segregação social e espacial recria novas formas de viver e de sobreviver nas cidades. O quadro de extrema desigualdade social dificulta cada vez mais a construção de uma sociedade mais justa, que garanta igual acesso à cidade. As classes mais abastadas, usando como justificativa a violência e a desordem nos centros urbanos, se autossegregam em seus condomínios de luxo. Por fim, não devemos desconsiderar a segregação ambiental, fruto da promiscuidade entre o poder público e o privado.

Palavras-chave


Metrópoles brasileiras; Segregação sócio-espacial; Centro x periferia

Texto completo:

PDF