Diagnóstico da geração, segregação, coleta seletiva e destinação final dos resíduos sólidos do bairro São João no município de Quixadá/CE: um alerta às autoridades acerca da importância do incentivo à coleta seletiva

  • Jacqueline Fontenele Vieira Instituto de Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará- IFCE campus Quixadá
  • Beatriz Lopes Figueredo Instituto de Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará- IFCE campus Quixadá
Palavras-chave: Residuos sólidos, Segregação, Coleta seletiva

Resumo

O estudo foi realizado no bairro São João situado no município de Quixadá-CE, pelo fato de essa cidade não contar com um programa de coleta seletiva abrangente e pelo referido bairro ser periférico e deficiente em saneamento. Este trabalho objetivou obter o diagnóstico da produção, segregação, coleta seletiva e destinação final dos resíduos gerados no bairro São João. Para tanto aplicou-se um questionário e desenvolveu-se uma revisão fundamentando a problemática. Assim, constatou-se que a população é bastante desinformada sobre os quesitos resíduos sólidos e importância da coleta seletiva. Portanto, faz-se necessária a intervenção municipal no incentivo a programas de coleta seletiva.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jacqueline Fontenele Vieira, Instituto de Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará- IFCE campus Quixadá
Acadêmica de Engenharia Ambiental e Sanitária(IFCE).IFCE -Campus Quixadá/CE-Brasil
Beatriz Lopes Figueredo, Instituto de Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará- IFCE campus Quixadá
Engenheira Ambiental e Sanitária (IFCE).IFCE -Campus Quixadá/CE-Brasil

Referências

ABEP. Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério de Classificação Econômica Brasil 2015. Disponível em: file:///C:/Users/User/Downloads/01_cceb_2015.pdf. Acesso em: 27 set. 2017.

ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NB-10.004: Resíduos Sólidos: Classificação, 2004.

ABRELPE. Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2014. Disponível em: http://www.abrelpe.org.br/Panorama/panorama2014.pdf.pdf. Acesso em: 27 set. 2017.

AZEVEDO, M.A; HELLER, L.; SCHALCH, V. Avaliação do potencial de risco para a saúde da disposição inadequada dos resíduos sólidos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL, 21., 2001, João Pessoa, PB. Anais […]. João Pessoa: ABES, 2001.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos sólidos. Disponível em: http://sinir.gov.br/web/guest/2.5-planos-municipais-de-gestao-integrada-de-residuos-solidos. Acesso em: 27 set. 2017.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Disponível em: http://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis/residuos-solidos/politica-nacional-de-residuos-solidos. Acesso em: 26 set. 2017.

CEMPRE. COMPROMISSO EMPRESARIAL PARA RECICLAGEM. Lixo Municipal: Manual de Gerenciamento Integrado. In: CEMPRE, 2, 2000, São Paulo (SP). Anais […]. São Paulo: CEMPRE; IPT, 2000. p. 181-192.

CRUZ, E. M. S. Açude do Cedro: mitos e verdades. Os verdadeiros responsáveis pela construção do Açude de Quixadá. Fortaleza: ABC Editora, 2006. 136 p.

IBAM. INSTITUTO BRASILEIRO DE ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL. Manual gerenciamento integrado de resíduos sólidos. Rio de Janeiro: IBAM, 2001.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Departamento de População e Indicadores Sociais. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2000. Rio de Janeiro: IBGE, 2002.

IPECE. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará. Perfil Básico municipal Quixadá 2014. Fortaleza: IPECE, 2014.

JACOBI, P.; VIVEIROS, M. Da vanguarda à apatia, com muitas suspeitas no meio do caminho- Gestão de resíduos sólidos domiciliares em São Paulo entre 1998 e 2004. In: PEREIRA, P.; VIVEIROS, M. (org.). Gestão compartilhada dos resíduos sólidos no Brasil: Inovação com inclusão social. São Paulo: Annablume, 2006. p. 17-39.

LEVIN, J. Estatística aplicada a ciências humanas. São Paulo: Harbra, 1987.

MILANEZ, B.; TEIXEIRA, B. A. N. Contextualização de princípios de sustentabilidade para a gestão de resíduos sólidos urbanos. In: CONGRESSO BRASILERO DE ENGENHARIA SANITARIA E AMBIENTAL, 21., 2001. João Pessoa, PB. Anais […]. João Pessoa: ABES, 2001.

MOURA, V. S.; ROSENDO, J. S. O programa de coleta seletiva em Itaituba, MG. Bol. geogr., v. 30, n. 3, p. 41-53, 2012.

RIBEIRO, H.; BESEN, G. R. Panorama da Coleta Seletiva no Brasil: Desafios e

Perspectivas a partir de Três Estudos de Casos. INTERFACEHS Revista de Gestão Integrada em Saúde do Trabalho e Meio Ambiente, v. 2, n. 4, ago. 2007.

SANTOS, F. C. A Logística Reversa de Resíduos Sólidos em Ituiutaba: do diagnóstico à elaboração de um modelo pró-ativo. 2007. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2007. Disponível em: http://www.ig.ufu.br/sites/ig.ufu.br/files/Anexos/Bookpage/Anexos_FlavioCosta.pdf. Acesso em: 26 set. 2017.

Publicado
31-12-2018
Como Citar
VIEIRA, J. F.; FIGUEREDO, B. L. Diagnóstico da geração, segregação, coleta seletiva e destinação final dos resíduos sólidos do bairro São João no município de Quixadá/CE: um alerta às autoridades acerca da importância do incentivo à coleta seletiva. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, v. 12, n. 2, p. 306-320, 31 dez. 2018.
Seção
Artigos originais