Monitoramento físico-químico de uma estação de tratamento de esgotos por lodos ativados no município de Armação dos Búzios, Rio de Janeiro, Brasil

  • Alexandre Mioth Soares Instituto Federal Fluminense Campus Cabo Frio Diretoria de Pesquisa e Extensão
Palavras-chave: Tratamento de esgotos, Lodos ativados, Aeração convencional

Resumo

O monitoramento físico-químico dos parâmetros operacionais de uma estação de tratamento de esgotos é importante, uma vez que serve de base para adoção de medidas que objetivam a melhoria da qualidade do efluente final. Com este estudo buscou-se monitorar doze parâmetros físico-químicos da estação de tratamento de esgotos de Armação dos Búzios de setembro de 2010 a agosto de 2013. Todos os parâmetros efluentes estiveram de acordo com a legislação, exceto nitrogênio e fósforo totais, que ficaram em desacordo com a legislação estadual em somente um mês de pesquisa cada. As eficiências de remoção da demanda bioquímica de oxigênio e dos sólidos suspensos totais aumentaram com o decorrer do monitoramento e foram consideradas bastante satisfatórias. É possível afirmar que as vazões estimadas não irão exceder a de projeto para nenhuma das condições de retorno consideradas. Este estudo servirá de base para análise de confiabilidade de estações de tratamento de esgotos no Estado do Rio de Janeiro, inédito para a área, mas já realizado em outras regiões do país.      

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Mioth Soares, Instituto Federal Fluminense Campus Cabo Frio Diretoria de Pesquisa e Extensão
Mestre em Engenharia Ambiental pelo Instituto Federal Fluminense.Especialista em Planejamento e Gestão AmbientalInstituto Federal Fluminense, Campus Cabo FrioDiretoria de Pesquisa e Extensão - DIPEX  

Referências

AGENERSA. Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro. Histórico da concessão. Disponível em: http://www.agenersa.rj.gov.br. Acesso em: 12 jul. 2014.

AISSE, M. M. Sistemas Econômicos de Tratamento de Esgotos Sanitários. Rio de Janeiro: ABES, 2000. 192 p.

ARMAÇÃO DE BÚZIOS. Prefeitura Municipal de Armação dos Búzios. Dados gerais. Disponível em: www.buzios.rj.gov.br/documentos/dados-gerais-buzios. Acesso em: 06 nov. 2010.

BENTO, A. P. et al. Caracterização da macrofauna em estação de tratamento de esgotos do tipo lodos ativados: um instrumento de avaliação e controle do processo. Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 10, n. 4, p. 329-338, 2005.

CONAMA. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução n° 430 de 13 de maio de 2011.

CORDI, L. et al. Montagem, partida e operação de um sistema de lodos ativados para o tratamento de efluentes: parâmetros físico-químicos e biológicos. Engenharia Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, v. 5, n. 1, p. 097-115, 2008.

FEEMA. Fundação de Engenharia do Meio Ambiente. Nota técnica NT-202.R-10: Critérios e padrões para lançamento de efluentes líquidos. Aprovada pela Deliberação CECA nº 1007, de 04 de dezembro de 1986. DOERJ, 12 dez. 1986.

FEEMA. Fundação de Engenharia do Meio Ambiente. Diretriz DZ-215.R-4: Diretriz de controle de carga orgânica biodegradável em efluentes líquidos de origem sanitária. Aprovada pela Deliberação CECA n° 4886, de 25 de setembro de 2007. DOERJ, 08 nov. 2007.

FERREIRA, A. P.; CUNHA, C. L. N.; ROQUE, O. C. C. Avaliação da microfauna no efluente final para monitoramento da qualidade ambiental em estações de tratamento de esgotos do tipo lodos ativados. Gaia Scientia, v. 1, n. 2, p. 51-59, 2008.

FIGUEIREDO, I. C. Avaliação de desempenho do processo CEPT (Chemically Enhanced Primary Treatment) no tratamento primário de esgotos domésticos. 2009. 125 p. Tese (Doutorado) – COPPE, UFRJ, 2009.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades e Estados do Brasil. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias-novoportal/organizacao-do-territorio/ estrutura-territorial/15761-areas-dos-municipios.html?t=destaques&c=3300233. Acesso em: 23 mar. 2018.

JORDÃO, E. P. et al. Controle microbiológico na operação de um sistema de lodos ativados – estudo em escala piloto. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL, 19., 1997, Foz do Iguaçu. Resumos […]. Foz do Iguaçu: ABES, 1997. p. 625-636.

OLIVEIRA, S. M. A. C. Análise de desempenho e confiabilidade de estações de tratamento de esgotos. 2006. 214 p. Tese (Doutorado) – EE, UFMG, 2006.

OLIVEIRA, S. M. A.; VON-SPERLING, M. Análise da confiabilidade de estações de tratamento de esgotos. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 12, n. 4, p. 389-398, 2007.

OLIVEIRA, S. M. A. C.; VON-SPERLING, M. Reliability analysis of wastewater treatment plants. Water Research, v. 42, n. 1, p. 1182-1194, 2008.

PEREIRA, L. F. M. A Gestão participativa no caso do saneamento básico da Região dos Lagos, Rio de Janeiro. Revista Discente Expressões Geográficas, Florianópolis, n. 3, p. 10-41, 2007.

RINO, C. A. F.; SAGGIORO, N. J. Alternativas para o tratamento de esgotos do

município de Bauru, SP. In: CONGRESSO INTERAMERICANO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL, 27., 2000, Porto Alegre. Anais […]. Porto Alegre: ABES, 2000. p. 1-11.

ROCHA, K. M. et al. Monitoramento e avaliação de parâmetros físico-químicos e microbiológicos de uma estação de tratamento de efluentes com sistema de lodos ativados em uma agroindústria no meio oeste de Santa Catarina. Revista de Engenharia Civil IMED, v. 3, n. 1, p. 25-36, jan./jun. 2016.

SCHLEGEL, A. E.; PAUL, L. R.; JAEGER, E. V. Análise da eficiência do sistema de lodos ativados por meio de microscopia. Revista Científica do Alto Vale do Itajaí, v. 4, n. 5, p. 120-124, mar. 2016.

SILVA, M. C. A.; MONTEGGIA, L. O.; CATANEO, I. Avaliação da qualidade microbiológica de efluentes sanitários tratados por sistemas de lodos ativados. Caderno Pedagógico, Lajeado, v. 14, n. 1, p. 257-266, 2017.

SNIS. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento. Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgotos. Brasília: Ministério das Cidades, SNIS, 2017.

SOARES, J. F. et al. Caracterização do floco biológico e da microfauna em sistema de lodos ativados. Ciência e Natura, Santa Maria, v. 36, n. 1, p.1-10, 2014.

SOARES, A. M. et al. Avaliação bacteriológica da água associada ao cultivo de mexilhões Perna perna da Praia Rasa, Armação dos Búzios, RJ. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, Campos dos Goytacazes, v. 9, n. 2, p. 45-58, jul./dez. 2015.

ZOBY-JÚNIOR, L. C. et. al. Avaliação do desempenho das estações de tratamento por lodo ativado no Grande Recife associada com análise de imagens dos microorganismos presentes no lodo ativado. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA QUÍMICA, 20., 2014, Florianópolis. Anais […]. Florianópolis: ABEQ, 2014. p. 1-8.

Publicado
31-12-2018
Como Citar
SOARES, A. M. Monitoramento físico-químico de uma estação de tratamento de esgotos por lodos ativados no município de Armação dos Búzios, Rio de Janeiro, Brasil. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, v. 12, n. 2, p. 321-334, 31 dez. 2018.
Seção
Artigos originais