Análise socioambiental do uso e ocupação do Parque Ecológico Professor Renato Braga, Maranguape – CE

Palavras-chave: Parque urbano, Áreas verdes, Degradação, Sustentabilidade urbana

Resumo

Pretende-se neste artigo abordar aspectos da implementação de parques urbanos que contribuem para o melhoramento do microclima, a preservação de espécies vegetais e animais, a valorização imobiliária, o beneficiamento da paisagem urbana, além da conservação do meio ambiente e da qualidade de vida da população. Analisa-se o caso do Parque Ecológico Professor Renato Braga para apresentar a forma como ele vem sendo utilizado nos últimos anos. A criação desse parque urbano teve o intuito de disponibilizar à população um espaço privilegiado de convivência e lazer, além de proteger a fauna e flora locais; porém, o referido parque vem sofrendo com diversos problemas sociais e ambientais, que põem em risco o seu equilíbrio ecológico. Utilizou-se uma metodologia sistêmica de análise integrada na área de estudo. O objetivo do presente trabalho consiste em analisar as formas de uso e ocupação do parque em questão, atentando para os principais danos socioambientais decorrentes das atividades exercidas no local, salientando, também, os problemas de gerenciamento dessa área. A pesquisa se fundamenta na importância da área para a sustentabilidade urbana do município de Maranguape, ocorrendo uma grande necessidade de diagnósticos sobre a dimensão da problemática atual, com a finalidade de elaborar futuras propostas como medida de mitigação dos impactos. Na primeira parte do texto, são apresentados alguns aspectos sobre o Parque Ecológico Professor Renato Braga, o objetivo e a justificativa do trabalho; na segunda; tem-se um referencial teórico sobre a importância das unidades de conservação e a sustentabilidade; na terceira, é abordada metodologia que mostra a área de estudo e o diagnóstico ambiental; a quarta fase trata dos resultados e discussão; e, finalmente, a quinta parte traz as conclusões deste estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Lopes e Figueredo, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia
Mestranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Ceará- Ceará/ CE- Brasil. E-mail: beatrizlopesif@gmail.com
Deborah Maria Passos Lopes, Universidade Federal do Ceará
Mestranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Ceará- Ceará/ CE- Brasil. E-mail: deborah.maria.passos@gmail.com
Jessica Maria da Silva Pacheco
Mestranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Ceará- Ceará/ CE- Brasil. E-mail: jessica.pacheco02@gmail.com
Edson Vicente da Silva
Doutor em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho- Campus Claro/SP - Brasil. Professor de Geografia da Universidade Federal do Ceará- Ceará/ CE- Brasil. – Email: cacauceara@gmail.com

Referências

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Unidades de Conservação. Disponível em: http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/unidades-de-conservacao. Acesso em: 16 maio 2018.

CARDOSO, S. L. C.; VASCONCELLOS SOBRINHO, M.; VASCONCELLOS, A. M. A. Gestão ambiental de parques urbanos: o caso do Parque Ecológico do Município de Belém Gunnar Vingren. Revista Brasileira de Gestão Urbana, Belém, v. 1, n. 7, p.74-90, jan. 2015.

DANTAS, E. W. C.; COSTA, M. C. L.; ZANELLA, M. E. Vulnerabilidade socioambiental e qualidade de vida em Fortaleza. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2017. 116 p.

FIRMO, W. C. A. et al. Contexto histórico, uso popular e concepção científica sobre plantas medicinais. Cad. Pesq., São Luís, v. 18, n. especial, dez. 2011.

ICMBio. INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO E BIODIVERSIDADE. Planos de Manejo. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/unidadesdeconservacao/planos-de-manejo. Acesso em: 2 jun. 2018.

IPECE. INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ. Perfil Básico Municipal 2017. Disponível em: http://www.ipece.ce.gov.br/perfil_basico_municipal/2017/Maranguape.pdf. Acesso em: 25 maio 2018.

LOPES, D. M. P. Mapa de localização da área de estudo. Fortaleza: UFC, 2018.

PACHECO, J. M. Documentação fotográfica da pesquisa. Fortaleza: UFC, 2018.

PACHECO, J. M. Mapa de Localização do Parque Ecológico Professor Renato Braga e de seu entorno. Fortaleza: UFC, 2019.

JUSTINO, A. S.; NASCIMENTO, D. C. Os desafios da gestão de parques urbanos: estudo de caso do parque municipal do distrito industrial, Uberlândia, MG. Cidades Verdes, v. 3, n. 5, p. 18-34, 2015.

MAGALHÃES, G. B.; SILVA, E. V.; ZANELLA, M. E. Análise Geossistêmica: caminhos para um entendimento holístico. GeoPuc, Rio de Janeiro, v. 3, p. 1-17, 2010.

MARANGUAPE inaugura o Parque Ecológico Professor Renato Braga. Diário do Nordeste, 2003. Disponível em: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/regional/maranguape-inaugura-parque-ecologico-renato-braga-1.37366. Acesso em: 16 maio 2018.

MARANGUAPE. Prefeitura Municipal de Maranguape. Horto Florestal é ponto de visitação em Maranguape. 2017. Disponível em: http://www.maranguape.ce.gov.br/tag/parque-ecologico-renato-braga/. Acesso em: 16 maio 2018.

MATSUMOTO, M. L. et al. Avaliação ambiental do parque urbano Arnulplho Fioravante para adoção de estratégias de restauração. Boletim Paranaense de Geociências, v. 66-67, p. 51-60, 2012.

REZENDE, P. S. et al. Qualidade ambiental em parques urbanos: levantamento e análise de aspectos positivos e negativos do parque municipal Victório Siquierolli, Uberlândia, MG. Observatorium: Revista Eletrônica de Fotografia, v. 4, n. 10, p. 53-73, 2012.

SZEREMETA, B.; ZANNIN, P. H. T. A importância dos Parques Urbanos e Áreas verdes na promoção da qualidade de vida em cidades. RAEGA, Curitiba, v. 29, p. 177-193, dez. 2013.

Publicado
21-02-2020
Como Citar
FIGUEREDO, B. L. E; LOPES, D. M. P.; PACHECO, J. M. DA S.; DA SILVA, E. V. Análise socioambiental do uso e ocupação do Parque Ecológico Professor Renato Braga, Maranguape – CE. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, v. 13, n. 2, p. 291-304, 21 fev. 2020.
Seção
Artigos originais

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##