Projeção de vazão para bacia do rio Paraíba do Sul e estudo de disponibilidade hídrica a partir de cenários do IPCC

Palavras-chave: Mudanças Climáticas, `Projeção de Precipitação, Projeção de Vazão, IPCC

Resumo

A bacia do rio Paraíba do Sul é importante para a região metropolitana do Rio de Janeiro e de São Paulo, no que tange ao abastecimento de água, devido aos seus usos múltiplos. O presente estudo tem como objetivo identificar os principais impactos das mudanças climáticas na disponibilidade hídrica na bacia a montante do Reservatório de Funil (BMRF), que contém o reservatório equivalente da bacia do Rio Paraíba do Sul, incumbido do abastecimento de água da região Metropolitana do Rio de Janeiro. Para modelar a bacia, foi utilizado o modelo SMAP Mensal, caracterizado por ser concentrado e conceitual matemático. Os cenários climáticos utilizados foram o RCP 2.6, 4.5 e 8.5 fornecidos pelos modelos MIROC-ESM e GFDL-CM3. Os dados de precipitação projetados serviram para estimar a vazão, e, a partir desses, foram analisadas as médias-móveis de 30 anos para cada cenário e anomalias de vazão entre 2011 e 2100. Observou-se, de forma geral, que as vazões médias tendem a ser menores em todos os cenários a partir da década de 2070.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Erick Santana Amancio, Universidade Estácio de Sá
Mestrado em Engenharia de Biossistemas pela Universidade Federal Fluminense (UFF) – Rio de Janeiro/RJ. Universidade Professor da Universidade Estácio de Sá (UNESA ) Campus Resende, Rio de Janeiro/RJ – Brasil. E-mail: ericksantanaamancio@gmail.com

Referências

AMANCIO, E. S. Projeção de vazão para bacia do rio Paraíba do Sul e estudo de disponibilidade hídrica a partir de cenários do IPCC. 2018. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal Fluminense, 2018.

BERTONI, J. C.; TUCCI, C. E. M. Hidrologia: Ciência e Aplicação. Porto Alegre: ABRH, 2002. p. 177–231. (Coleção ABRH de Recursos Hídricos).

BOU, A. S. F.; SÁ, R. V.; CATALDI, M. Flood forecasting in the upper Uruguay River basin. Natural Hazards, v. 79, n. 2, p. 1239–1256, 2015.

BRASIL. Agência Nacional de Águas. Diretrizes e análises recomendadas para a consistência de dados pluviométricos. Brasília: ANA, 2011.

CEIVAP. ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL. SIGA-CEIVAP: Sistema de Informações Geográficas e Geoambientais da Bacia do rio Paraíba do Sul. Disponível em: http://sigaceivap.org.br/map#. Acesso em: 3 mar. 2017.

COLLISCHONN, W.; DORNELLES, F. Hidrologia para engenharia e ciências ambientais. 2. ed. Porto Alegre: ABRH, 2015.

CPRM. Atlas Pluviométrico do Brasil. Disponível em: https://www.cprm.gov.br/publique/Hidrologia/Mapas-e-Publicacoes/Atlas-Pluviometrico-do-Brasil-1351.html. Acesso em: 22 fev. 2017.

CPRM. Relatório-síntese do trabalho de Regionalização de Vazões da Sub-bacia 58 Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2003.

DI BELLO, R. C. Análise do Comportamento da Umidade do Solo no Modelo Chuva-Vazão SMAP II - Versão com Suavização Hiperbólica Estudo de Caso: Região de Barreiras na Bacia do Rio Grande-BA. 2005. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005. Disponível em: file:///C:/Users/Edmo%20Virgens/Downloads/Rafael%20Carneiro%20Di%20Bello.pdf. Acesso em: 2019.

ESTUDOS de Consistência e Reconstituição de Séries de Vazões Naturais nas Bacias dos Rios Parnaíba, Jequitinhonha e Doce: Relatório final. Rio de Janeiro: NOS; HICON, 2008. Disponível em: https://www2.aneel.gov.br/aplicacoes/consulta_publica/documentos/RelatorioFinal_Parnaiba_Jequitinhonha_Doce_Vol%20I_Rev3.pdf. Acesso em: 2019.

EVAPORAÇÕES líquidas nas usinas hidrelétricas. Rio de Janeiro: NOS, 2004.

FARIA, B. F. P. Teste F na Regressão Linear Múltipla para Dados Temporais com Relação Serial. 2011. Dissertação (Mestrado em Estatística, Matemática e Computação) - Universidade Aberta, Lisboa, 2011.

GALVÃO, J.; BERMANN, C. Crise hídrica e energia: conflitos no uso múltiplo das águas. Estudos Avançados, v. 29, n. 84, p. 43–68, 2015.

GUILHON, L. G. F.; ROCHA, V. F.; MOREIRA, J. C. Comparação de Métodos de Previsão de Vazões Naturais Afluentes a Aproveitamentos Hidroelétricos. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 12, n., p. 13–20, 2007.

IBGE. EMBRAPA. Mapa de Solos do Brasil. Disponível em: http://www.dpi.inpe.br/amb_data/Shapefiles/soloEmbrapa.zip. Acesso em: 22 fev. 2017.

IPCC. Scenario process for AR5. Disponível em: http://sedac.ipcc-data.org/ddc/ar5_scenario_process/index.html. Acesso em: 29 out. 2017.

LINSLEY JR., R. K.; KOHLER, M. A.; PAULHUS, J. L. H. Hydrology for engineers. 1. ed. New York-Toronto-London: MacGraw-Hill, 1958. v. 1.

LOPES, J. E. G. Manual Modelo SMAP. [S.l.: s.n.], 1999

MARENGO, J. A. O futuro clima do Brasil. Revista USP, v. 103, p. 25--32, 2014.

NAGHETTINI, M.; PINTO, E. J. D. A. Hidrologia Estatística. Belo Horizonte: CPRM, 2007.

OLIVEIRA, L. F. C. et al. Comparação e metodologias de preenchimento de falhas de séries históricas de precipitação pluvial anual, Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, n. 11, p. 1186–1192, 2010.

REBOITA, M. S. et al. Entendendo o Tempo e o Clima na América do Sul O Sol como Fonte de Energia. Terra e Didática, v. 8, n. 1, p. 34–50, 2012.

SABESP. Interligação Jaguari/Atibainha. Disponível em: http://site.sabesp.com.br/site/interna/Default.aspx?secaoId=548. Acesso em: 14 abr. 2018.

SARTORI, A.; LOMBARDI NETO, F.; GENOVEZ, A. M. Classificação Hidrológica de Solos Brasileiros para a Estimativa da Chuva Excedente com o Método do Serviço de Conservação do Solo dos Estados Unidos Parte 2 : Aplicação. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 10, n. 4, p. 19–29, 2005.

Publicado
16-04-2020
Como Citar
AMANCIO, E. S. Projeção de vazão para bacia do rio Paraíba do Sul e estudo de disponibilidade hídrica a partir de cenários do IPCC. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, v. 14, n. 1, p. 131-151, 16 abr. 2020.
Seção
Artigos originais