Análise da variação temporal do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada no Parque Nacional da Serra do Gandarela em Minas Gerais utilizando imagens Landsat 8

Palavras-chave: Sensoriamento Remoto, Unidades de Conservação, Monitoramento Ambiental, NDVI

Resumo

A dificuldade de monitoramento e fiscalização da efetividade das ações do plano de manejo das Unidades de Conservação é um desafio devido aos extensos territórios que representam. Este problema pode ser minimizado com o uso de geotecnologias como o sensoriamento remoto que permite conhecer a dinâmica da superfície de forma remota. Desta forma, o presente trabalho teve como objetivo analisar a dinâmica temporal da vegetação do Parque Nacional da Serra do Gandarela e de seu entorno entre os anos de 2014 e 2019, através do uso do índice de vegetação NDVI, com imagens do satélite  Landsat  8. Foram utilizados os softwares ArcGis na versão 10.5 e QGIS 2.18.0 para tratamento da imagem e cálculo e classificação do NDVI. Ao analisar os resultados produzidos, observou-se aumento na densidade da vegetação na área de estudo após a criação do parque, as regiões de vegetação densa aumentaram suas áreas em 5,5% e as áreas com algum tipo de ação antrópica ou solo exposto obtiveram perda de área de 1,4%. Foi possível verificar que a criação do parque contribuiu para a conservação dos recursos naturais da região de estudo e que as ferramentas de geoprocessamento são eficazes no processo de monitoramento da dinâmica da vegetação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tiago Antônio Figueiredo, Universidade Estadual de Minas Gerais
Graduação em Gestão de Recursos Humanos pelo Centro Universitário (UNA). Graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade do Estado de Minas Gerais - Brasil.
Publicado
27-12-2020
Como Citar
FIGUEIREDO, T. A. Análise da variação temporal do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada no Parque Nacional da Serra do Gandarela em Minas Gerais utilizando imagens Landsat 8. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, v. 14, n. 2, p. 405-421, 27 dez. 2020.
Seção
Artigos originais