Avaliação do processo de salinização da água na Microbacia do Rio Doce, São João da Barra, RJ em decorrência do acidente ambiental no Superporto do Açu

Autores

  • Rogério da Silva Burla Instituto Federal Fluminense, Unidade de Pesquisa e Extensão Agro-Ambiental - UPEA. BR 356 S/N próximo a Barcelos Martins Lages 28100000 - Campos dos Goytacazes, RJ - Brasil Telefone: (22) 27375605 URL da Homepage: www.iff.edu.br
  • Vicente de Paulo Santos de Oliveira Instituto Federal Fluminense, Unidade de Pesquisa e Extensão Agro-Ambiental - UPEA.
  • Luiz Machado da Costa Instituto Federal Fluminense
  • Carmen Maria Coimbra Manhães Instituto Federal Fluminense
  • Joice Cleide Oliveira Rita Santos Instituto Federal Fluminense
  • Mario Celso Colucci Instituto Federal Fluminense
  • Francisco Maurício Alves Francelino

Palavras-chave:

Agricultura. Qualidade de água. Irrigação. Riscos ambientais.

Resumo

A utilização da irrigação nos cultivos agrícolas é fundamental para garantir uma produtividade adequada, em especial nas regiões que apresentam deficit hídrico e clima com estações de chuva e seca bem definidas. O presente estudo objetivou fazer uma análise do acidente ambiental ocorrido no Depósito 4 da LLX Açu Operações Portuárias S.A. no mês de novembro de 2012 e avaliar a qualidade da água utilizada na irrigação das propriedades rurais da microbacia do Rio Doce, São João da Barra-RJ, no mês de março de 2013. As amostras foram coletadas no período de 13 a 16 de março de 2013 e as análises foram realizadas no Laboratório Campo, situado em Paracatu-MG. Os seguintes parâmetros foram analisados: condutividade elétrica (CE), cloreto, sódio, cálcio, magnésio e a relação de adsorção de sódio (RAS). Durante o acidente ambiental no Depósito 4, no mês de novembro de 2012, a CE da água do canal Quitingute atingiu o patamar de 42.000 µS/cm. No entanto, em março de 2013, a água do canal Quitingute não apresentou restrições quanto à sua utilização na irrigação. Os resultados das análises dos poços freáticos mostraram que aproximadamente 11% das amostras apresentaram CE acima do ideal e que nenhuma amostra apresentou restrições quanto ao perigo de sódio, segundo a classificação da RAS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério da Silva Burla, Instituto Federal Fluminense, Unidade de Pesquisa e Extensão Agro-Ambiental - UPEA. BR 356 S/N próximo a Barcelos Martins Lages 28100000 - Campos dos Goytacazes, RJ - Brasil Telefone: (22) 27375605 URL da Homepage: www.iff.edu.br

Rogério da Silva Burla - Mestre em Engenharia Ambiental pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense). Engenheiro do IFFluminense - campus Centro, Campos dos Goytacazes/RJ - Brasil. Email: rogerioburla@yahoo.com.br

Vicente de Paulo Santos de Oliveira, Instituto Federal Fluminense, Unidade de Pesquisa e Extensão Agro-Ambiental - UPEA.

Vicente de Paulo Santos de Oliveira. Doutor em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Professor Titular do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFFluminense), Campus UPEA - Campos dos Goytacazes/RJ - Brasil. Email: vsantos@iff.edu.br

Luiz Machado da Costa, Instituto Federal Fluminense

Luiz Machado da Costa - Especialista em Gestão Pública pela Universidade Católica Dom Bosco. Assistente em Administração pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFFluminense), campus Centro - Campos dos Goytacazes/RJ - Brasil. Email: lmachadoc@gmail.com

Carmen Maria Coimbra Manhães, Instituto Federal Fluminense

Carmen Maria Coimbra Manhães - Doutora em Produção Vegetal pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins – Dianópolis/ TO – Brasil. Email: carmenmanhaes@yahoo.com.br

Joice Cleide Oliveira Rita Santos, Instituto Federal Fluminense

- Doutora em Produção Vegetal pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Email: jcleideoliver@yahoo.com.br

Mario Celso Colucci, Instituto Federal Fluminense

Especialista em Educação do Campo e Pesca, Aquicultura e Ambiente pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFFluminense). Professor do Instituto Superior de Educação Professor Aldo Muylaert (ISEPAM) - Campos dos Goytacazes/RJ - Brasil. Email: mcolucci@ig.com.br   

Francisco Maurício Alves Francelino

Francisco Maurício Alves Francelino -Doutorando e Mestre em Produção Vegetal pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Bolsista de Doutorado pela UENF - Campos dos Goytacazes/RJ - Brasil. Email: francelinofma@yahoo.com.br

Downloads

Publicado

05-06-2015

Como Citar

BURLA, R. da S.; DE OLIVEIRA, V. de P. S.; DA COSTA, L. M.; MANHÃES, C. M. C.; SANTOS, J. C. O. R.; COLUCCI, M. C.; FRANCELINO, F. M. A. Avaliação do processo de salinização da água na Microbacia do Rio Doce, São João da Barra, RJ em decorrência do acidente ambiental no Superporto do Açu. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 35–48, 2015. Disponível em: https://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/boletim/article/view/2177-4560.v9n115-02. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos de revisão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>