Transgênicos: uma nova reconfiguração do trabalho e da natureza pela agricultura capitalista

  • Joedson de Souza Delgado Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)
Palavras-chave: Transgenia. Biotecnologia Agrícola. Natureza. Karl Marx.

Resumo

O artigo consiste em analisar algumas peculariedades quanto ao uso da transgenia (produtos transgênicos ou organismos geneticamente modificados) na agricultura brasileira, notadamente o complexo temporal e espacial de sua prática dominante no sistema agrícola do país. Analisam-se, para tanto, os problemas ambientais e socioeconômicos que agregam a essa biotecnologia agrícola, cuja abordagem teórica refere-se à definição de natureza cunhada por Karl Marx e suas teorias sobre a sociedade, a economia e a política aplicada à agricultura europeia capitalista do século XIX. Ao final, são expostas as considerações conclusivas sobre o tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joedson de Souza Delgado, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)
Aluno especial do Mestrado em Direito do Centro Universitário de Brasília UniCEUB. Especialista em Direito Sanitário pela Fundação Oswaldo Cruz Fiocruz; Direito Administrativo pelo Instituto Brasiliense de Direito Público IDP; Direito Público pela AVM Faculdade Integrada; Direito Processual Civil pela Universidade Candido Mendes Ucam; Gestão Pública pela Universidade Estácio de Sá Unesa. Administrador graduado pela Universidade de Brasília UnB. Advogado graduado pelo Centro Universitário do Distrito Federal UDF. Membro integrante do Núcleo de Estudos em Direito e Economia NEDE, grupo de pesquisa, ligado ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Direito do Centro Universitário de Brasília UniCEUB. Analista Administrativo (Área: Direito) na Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa.
Publicado
05-06-2015
Como Citar
DELGADO, J. DE S. Transgênicos: uma nova reconfiguração do trabalho e da natureza pela agricultura capitalista. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, v. 9, n. 1, p. 141-152, 5 jun. 2015.
Seção
Artigos originais