Identificação dos impactos ambientais da ocupação irregular nas Áreas de Preservação Permanente (APP) da Bacia Hidrográfica do Rio Itabapoana

  • Ramon Petrilho Silveira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense)
  • Vicente de Paulo Santos Oliveira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense)
Palavras-chave: Nascentes. Bacia Hidrográfica. Preservação.

Resumo

As nascentes representam o início da formação das redes de drenagens e, assim, são fundamentais para a manutenção dos recursos hídricos. Apesar da notória importância de preservação dessas áreas, esses ambientes ainda continuam sofrendo com as ações predatórias do homem. Como consequência, destaca-se a redução na vegetação ciliar, perda na biodiversidade da fauna e flora, aumento dos processos erosivos no solo e assoreamento de diversos corpos d’água, inclusive de nascentes. Neste artigo, realizaremos um estudo de revisão bibliográfica a respeito da situação ambiental na qual se encontra a bacia do rio Itabapoana, dando ênfase nas áreas de nascentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ramon Petrilho Silveira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense)
Mestrando em Engenharia Ambiental, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) - Campos dos Goytacazes/RJ - Brasil. E-mail: ramonpetrilho@gmail.com
Vicente de Paulo Santos Oliveira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense)
Doutor em Engenharia Agrícola (UFV). Professor Titular do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) - Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: vsantos@iff .edu.br        
Publicado
30-12-2016
Como Citar
SILVEIRA, R. P.; OLIVEIRA, V. DE P. S. Identificação dos impactos ambientais da ocupação irregular nas Áreas de Preservação Permanente (APP) da Bacia Hidrográfica do Rio Itabapoana. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, v. 10, n. 1, p. 179-200, 30 dez. 2016.
Seção
Artigos de revisão