Caracterização Legal, Física e Biótica do Parque Estadual da Lagoa do Açu

  • Maxoel Barros Costa Instituto Estadual do Ambiente (INEA)
  • Vicente de Paulo Santos Oliveira Instituto Federal Fluminense (IFFluminense)
Palavras-chave: Parque Estadual da Lagoa do Açu. Restinga. Norte Fluminense. Mata Atlântica.

Resumo

Desde a sua ocupação humana inicial, a Mata Atlântica sofre com impactos. O dano se agravou com a colonização e a exploração posterior dessa área para fins econômicos e industriais. No estado do Rio de Janeiro, de todos os ecossistemas que compõem esse bioma, a restinga é o mais ameaçado, devido à sua localização nas áreas litorâneas. Atualmente, resta menos de 10% de sua área original. A região Norte Fluminense apresenta um grande remanescente de restinga, e durante anos discutiu-se a possibilidade da criação de uma Área de Preservação Ambiental que englobasse essa área. Com o Decreto nº 43.522/2012, ocorre a criação do Parque Estadual da Lagoa do Açu, que engloba em seus limites o Banhado da Boa Vista, a Lagoa do Açu, parte da Lagoa Salgada, uma área com uma faixa conservada de vegetação de restinga, lagoas, lagunas, córregos e charcos, de grande importância ambiental para a região. O objetivo desta revisão é fazer uma análise geral a partir dos dados levantados a respeito dos diferentes aspectos físicos e bióticos desse parque, além dos parâmetros legais que o regem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maxoel Barros Costa, Instituto Estadual do Ambiente (INEA)
Biológo em Biotecnologia (UENF). Analista Ambiental do Instituto Estadual do Ambiente (INEA) – Campos dos Goytacazes (RJ) – Brasil. E-mail: maxoel@gmail.com.
Vicente de Paulo Santos Oliveira, Instituto Federal Fluminense (IFFluminense)
Doutor em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Professor Titular do Instituto Federal Fluminense (IFFluminense) – Campos dos Goytacazes (RJ) - Brasil. E-mail: vsantos@iff.edu.br    
Publicado
30-10-2017
Como Citar
COSTA, M. B.; OLIVEIRA, V. DE P. S. Caracterização Legal, Física e Biótica do Parque Estadual da Lagoa do Açu. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, v. 11, n. 1, p. 43-58, 30 out. 2017.
Seção
Artigos de revisão