Gestão de Resíduos Sólidos e Compostagem Orgânica: Estudo de Caso para Escolha de Tecnologia de Processo em Macaé, Brasil

Autores

  • Ana Luiza Rivello Crivelaro Universidade Federal Fluminese
  • Marcos Antonio Cruz Moreira Instituto Federal Fluminense
  • José Augusto Ferreira da Silva Instituto Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.19180/2177-4560.v12n12018p89-110

Palavras-chave:

Reator biológico, Metodologias de Compostagem, Resíduos orgânicos

Resumo

Os resíduos sólidos têm sido um grande desafio para o poder público. No Brasil, esta problemática tem sido cada vez mais discutida tanto no âmbito jurídico, em normativas e legislações, como também nas práticas de gestão que envolvem sociedade, empresas e instituições de ensino. A promulgação da Política Nacional dos Resíduos Sólidos, no ano de 2010, determinou a desativação dos lixões visando à disposição ambientalmente adequada, em aterros sanitários, dos resíduos cujas possibilidades técnicas e econômicas de tratamento já se esgotaram. De acordo com pesquisa feita pela ABRELPRE (2012), aproximadamente 51,4% dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) no Brasil são formados por resíduo orgânico, sendo essa fração cabível de tratamento através da compostagem e biodigestão. As Instituições de Ensino possuem papel fundamental no desenvolvimento de novas técnicas, sendo um laboratório de ideias sempre em busca de soluções. Buscou-se com esta pesquisa analisar equipamentos e propor um modelo de planta de compostagem para a gestão de resíduos orgânicos do IFFluminense Campus Macaé. De acordo com a realidade do Instituto, conclui-se que a tecnologia de processo ideal é a constituída por um tambor com perfurações que propiciam melhor aeração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Luiza Rivello Crivelaro, Universidade Federal Fluminese

Bióloga pós-graduada em Gestão Ambiental e estudante de Engenharia de Produção da UFF

Marcos Antonio Cruz Moreira, Instituto Federal Fluminense

Graduação em Engenharia Eletrônica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1988), mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992) e doutorado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005). Professor Titular do Instituto Federal Fluminense (IFF). Atua nos curso de Engenharia de Controle e Automação e no Mestrado em Engenharia Ambiental do IFF. Desenvolve projetos nas linhas de pesquisa de Energias Renováveis, protótipos inovadores para Engenharia Ambiental, Elementos Finitos e Estatística Aplicada.

José Augusto Ferreira da Silva, Instituto Federal Fluminense

Fez Graduação (1998), mestrado (2001) e doutorado (2006) em Geografia pela Universidade Estadual Paulista (unesp) de Presidente Prudente (SP). No mestrado desenvolveu dissertação com o tema "Recursos de apoio didático-pedagógico na educação ambiental" e no doutorado defendeu tese sobre "Gestão de recursos hídricos e sistemas de informações geográficas: contribuições para a organização sócio-espacial do Pontal do Paranapanema-SP". Iniciou suas atividades profissionais como professor na Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC (1998-1999). Foi professor titular de Geografia no ensino fundamental e médio na Escola Pastor Jaconias Leite da Silva (Guarujá, SP), em 2005. Foi diretor da Associação dos Geógrafos Brasileiros Seção Local Presidente Prudente (2002-2005). Fez a coordenação pedagógica do Ensino Médio do Instituto Dom Bosco - Salesiano (Campos dos Goytacazes, RJ), em 2007. Foi professor nos cursos de Pedagogia e Letras na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Macaé - RJ (FAFIMA), (2005-2008). Atua como professor nos cursos de Mestrado em Engenharia Ambiental (foi coordenador entre 2010 e 2013), Engenharia de Controle e Automação, Técnico em Meio Ambiente do Instituto Federal Fluminense - IFFluminense (http://portal1.iff.edu.br). Atua como professor e coordenador do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica - ProfEPT - IFFluminense, Atuou no IFFluminense como Pró-Reitor de Pesquisa e Inovação (2012-2016), Reitor Substituto (2015-2016), Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (2013-2016). Participou da Tec Campos (Incubadora de Empresas) como membro do Conselho Diretor (Diretor Financeiro), http://www.teccampos.com.br/, (2013-2016). Desenvolve pesquisas nas áreas de: GEOTECNOLOGIAS APLICADAS A AVALIAÇÃO, GESTÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL; GESTÃO E PLANEJAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS; GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E TECNOLOGIAS ASSOCIADAS.

Downloads

Publicado

20-07-2018

Como Citar

CRIVELARO, A. L. R.; MOREIRA, M. A. C.; DA SILVA, J. A. F. Gestão de Resíduos Sólidos e Compostagem Orgânica: Estudo de Caso para Escolha de Tecnologia de Processo em Macaé, Brasil. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 89–110, 2018. DOI: 10.19180/2177-4560.v12n12018p89-110. Disponível em: https://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/boletim/article/view/9915. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>