Cuidados de Enfermagem ao paciente no período pós-operatório de transplante de fígado

  • Airton César Leite
  • Marlon De Moura Nunes
  • Francisco Wellyson Ribeiro De Andrade
  • Hamanda Soares Viana Pereira Da Silva

Resumo

INTRODUÇÃO: O transplante hepático é um procedimento cirúrgico considerado invasivo, recomendado em situações de má formação anatômica congênita ou pelo agravamento da infecção do vírus que leva as hepatites mais graves, onde o órgão está em situações que impedem de realizar suas funções não conseguindo, assim reverter o seu estado. OBJETIVO: Analisar a produção científica acerca dos cuidados de enfermagem ao paciente no período pós-operatório de transplante de fígado. METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão integrativa, realizada por meio da Plataforma da Biblioteca Virtual de Saúde - BVS através das bases de dados, LILACS e MEDLINE, utilizando os descritores: “Transplante de fígado”, “Cuidados de enfermagem”, e “Recuperação”, cruzados com o operador booleano “AND”. Os critérios de inclusão foram: artigos originais disponibilizados na íntegra, completos, que abrangessem a temática e na forma online, publicados nos idiomas português, inglês e espanhol. Os critérios de exclusão estabelecidos na seleção foram: artigos incompletos, artigos duplicados, teses, dissertações, monografias e manuais. No início da pesquisa aderiu-se um total de 206 publicações, após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão totalizou-se 39 artigos. Depois de uma leitura mais precisa, foram selecionados 13 para serem trabalhados no estudo. RESULTADOS/DISCUSSÃO: Identificou-se no estudo que no transplante de fígado o enfermeiro atua desde o pré até o pós-operatório com atividades específicas, seja no ambulatório, na unidade de internação, no centro-cirúrgico ou na unidade de terapia intensiva. Dos artigos selecionados, 46% enfatizaram a necessidade do enfermeiro no conhecimento anestésico-cirúrgico para agir diante de intercorrências, 31% o conhecimento dos fármacos imunossupressores para o planejamento eficaz das intervenções e os 23% restantes nos cuidados básicos como o contato mínimo e asséptico, higienização das mãos e controle da ferida cirúrgica. CONCLUSÃO: Evidenciou-se que o transplante de fígado é um procedimento de alta complexidade, e que necessita de um quadro de multiprofissionais capacitados para atender as demandas do paciente desde o pré até o pós-operatório, nesse aspecto, o enfermeiro e os demais profissionais precisam ter conhecimento das complicações e desenvolver habilidades para atuar frente ao surgimento destas.
Publicado
16-06-2021
Seção
Banner - Ciências da Saúde: Enfermagem