MATERIAIS COMPÓSITOS PARA ODONTOLOGIA

  • Anne Mussi Freitas
  • Raul Ernesto Lopez Palacio
Palavras-chave: Material odontológico, Compósito, Aluminosilicato

Resumo

O presente trabalho consiste no estudo da produção de um material compósito composto por uma matriz polimérica de methacrylsaure-3-trimethoxysilylpropylester (MPTS) e carga cerâmica de alumino silicato em pó, para a utilização em materiais odontológicos. A motivação do trabalho foram estudos feitos com sucesso de outros materiais compósitos de matriz polimérica e carga cerâmica visando obter melhores propriedades para as aplicações desejadas. A relevância do tema pode ser atribuída a necessidade de obter uma resina odontológica com maior resistência mecânica, além das vantagens estéticas. A importância da incorporação de carga nas residas compostas significou um importante salto na ciência q estuda o desenvolvimento dos materiais para a odontologia. As partículas de carga são responsáveis pela redução do nível de contração na interface entre o esmalte gravado e a resina composta, evitando a formação de gretas que podem gerar novas caries. O rendimento mecânico das resinas é outra característica modificada com a incorporação de carga à formulação. O programa experimental consiste na mistura de acetona, água e MPTS, nas quantidades de 95%, 2,5% e 2,5%, respectivamente. Essa mistura é agitada em um béquer à 60ºC por uma hora e meia. Em seguida adiciona-se 12,6% em volume de partículas cerâmicas e agita por uma hora. Após esse tempo, deixa a solução envelhecer a temperatura ambiente por duas horas. Por fim, a solução segue para a estufa a 110ºC por cinco horas. Com o material pronto, é feita uma análise de difração de raio-x. O resultado obtido através da difração de raiox foi a comprovação de que ao elevar a temperatura de um material cerâmico amorfo, pode-se obter estruturas cristalinas e semicristalinas.