PATOLOGIA DE ANIMAIS DE AÇOUGUE: FASCIOLOSE HEPÁTICA BOVINA EM CAMPOS DOS GOYTACAZES

  • Rafael Vianna Barbosa de Almeida Guerra
  • Raphael Mansur Medina
  • Eulógio Carlos Queiróz de Carvalho
Palavras-chave: Fasciola hepática, Bovino, Histopatologia

Resumo

A fasciolose é uma das doenças parasitárias de maior importância para animais destinados ao abate. Sua importância se deve a ocorrência elevada e, principalmente, às perdas associadas com condenações dos fígados para consumo humano, redução da conversão alimentar e aos custos com tratamentos antihelmínticos. A enfermidade esta listada (OMS) como Zoonose. Esta descrição visa relatar, discutir e caracterizar anatomopatogicamente (macro e micro) o comprometimento hepático na enfermidade.O material (fígados) foi colhido no matadouro Fri-Campos em Campos dos Goytacazes, no norte Fluminense, de onde foram obtidas amostras para a histotécnica por inclusão em parafina.Os ductos biliares estavam espessados mais consistente que o normal e com exemplares do agente (Fasciola hepática) ainda viáveis, além de cálculos (colelitos – dimensões variadas com predominância arenosa), nas luzes ductais. A microscopia/HE mostrou lesão inflamatória dos ductos biliares (colangite) por exudato misto, associada a distrofia do epitélio de revestimento (hiperplasia), calcificação distrófica mural (placas fragmentadas de material fortemente basofílico na parede) e proliferação fibrocelular (esclerose) periductal. Impressionava, ainda, unidades ductais distribuídas esparsamente na parede. O diagnóstico pode ser referendado macroscopicamente pelo Inspetor de Carnes (Médico Veterinário) e reafirmado, como neste caso, pela histopatologia e reconhecimento do trematódeo. O achado correspondente à calcificação é mais expressivo nos bovinos que em outros ruminantes, inclusive os selvagens. A fasciolose hepática em bovinos é uma enfermidade comum na região Norte Fluminense e causa prejuízos econômicos devido à condenação de fígados destinados ao consumo humano.