PERSCRUTANDO OS MECANISMOS DE TOLERÂNCIA AO CROMO EM RAIZES DE MILHO

  • Camila Ventura da Silva
  • Josimara Barcelos Venancio
  • Arnoldo Rocha Façanha
Palavras-chave: Metal pesado, Bombas de próton, Membrana plasmática

Resumo

Cromo (Cr) é um dos metais mais abundante na crosta terrestre e atividades antropogênicas tem elevado sua concentração nos ecossistemas. Quantidades prejudiciais as plantas resultam em clorose, redução de crescimento foliar e radicular e morte. Com o objetivo de investigar as bases fisiológicas da fitotoxicidade deste metal, estudou-se o efeito do Cr sobre o crescimento radicular, peroxidação lipídica, integridade de membranas e atividade hidrolítica da P-ATPase em raízes de milho (Zea mays L.). Plântulas de milho foram expostas a 0, 1, 10 e 100 mM de CrCl3. O comprimento radicular foi mensurado utilizando régua graduada. O conteúdo de malondialdeído(MDA), produto da peroxidação lipídica, foi extraído por maceração do tecido vegetal com ácido tricloroacetico, segundo Dhindas et al (1981). A integridade de  embranas foi obtida por medidas de condutividade elétrica em raízes lavadas e submersas em água ultra-pura (Vasquez-Tello et al., 1990). A atividade P-ATPásica foi analisada em vesículas de membrana plasmática isoladas por fracionamento celular via determinação colorimétrica de Pi liberado (Fiske e Subbarrow, 1925). Plantas expostas a 10 e 100 mM apresentaram redução do comprimento radicular em 10 e 20 %, respectivamente. Estas mesmas concentrações de Cr aumentaram em três vezes o conteúdo de MDA, mas sem efeito aparente sobre a integridade das membranas. As plantas expostas a 1 e 10mM tiveram sua atividade de hidrólise de ATP aumentada em cerca de três vezes em relação às plantas controle. A concentração de 100 ?M também estimulou a atividade  -ATPásica em ralação ao controle, entretanto este estímulo foi menor que o observado com concentrações inferiores de Cr. Os dados sugerem que plântulas de milho são relativamente resistentes ao Cr+3, não havendo sintomas de lise celular ou diminuição expressiva do crescimento radicular. Assim, o estímulo na produção de H2O2 e na P-ATPase pode representar adaptações metabólicas  inerentes a tolerância do milho ao Cr+3.