RELAÇÃO ENTRE MODULAÇÃO DAS BOMBAS DE PROTONS E A SINALIZAÇÃO HORMONAL DURANTE O AMADURECIMENTO DE TOMATES (SOLANUM LYCOPERSICUM)

  • Inga Gonçalves de Azevedo
  • Luis Alfredo dos Santos Prado
  • Arnoldo Rocha Façanha
Palavras-chave: Bombas de prótons, Tomate, Fitormônios

Resumo

O etileno e o ácido abscísico são hormônios que sinalizam vários processos durante o desenvolvimento vegetal, incluindo o amadurecimento de frutos. O tomate é um fruto climatérico, apresentando um pico de liberação de etileno em seu amadurecimento, que se caracteriza por um aumento da taxa respiratória dentre outras alterações da bioenergética do fruto, incluindo mudanças nas atividades das bombas de prótons das membranas celulares do fruto. Existe uma grande demanda por conhecimentos básicos que ajudem ao desenvolvimento de tecnologias pós-colheita que aumentem a qualidade e o tempo de prateleira dos frutos. Neste intuito, iniciamos a caracterização dos sistemas de transporte primário de prótons, em frutos de tomateiro contendo mutações específicas nas sinalizações por etileno (nr; com baixa sensibilidade a etileno) e ABA (duplo mutante sit x nr; baixa sensibilidade ao etileno e a ABA). Os frutos foram pesados e a coloração da casca foi medida utilizando-se um colorímetro. Frações membranares enriquecidas com vesículas de tonoplasto e plasmalema foram isoladas a partir do mesocarpo de tomate, por centrifugação diferencial (Giannini & Briskin 1987). A atividade H+-ATPásica foi determinada colorimetricamente peladosagem do Pi liberado durante a hidrólise enzimática de ATP. O peso fresco de frutos silvestres (WT) e mutantes não apresentou diferença significativa. Os parâmetros de cor no estádio 1 não apresentaram diferenças entre os genótipos. No estádio 3 os frutos duplo-mutantes foram significativamente diferentes no parâmetro ho. O parâmetro L diminui no WT e duplo mutante, e o nr permaneceu elevado. Todos os genótipos apresentaram diferenças significativas no parâmetro ‘a’, indicando a perda da cor verde e aparecimento da cor amarela. Foi verificado uma extraordinária ativação das H+- ATPases da plasmalema e do tonoplasto, nos 3 estádios de maturação, nos genótipos mutantes, com ênfase no duplo-mutante. Os dados em conjunto sugerem que o etileno e o ABA modulam fortemente as bombas de prótons, influenciando o status de energização das membranas celulares dos frutos e os fenômenos fisiológicos relacionados.