SEGREGAÇÃO SÓCIO-ESPACIAL E DISTRIBUIÇÃO DESIGUAL DE RISCOS AMBIENTAIS EM ITAOCARA, RJ

  • Filipe Correia Duarte
  • Marcos Antonio Pedlowski
Palavras-chave: Justiça Ambiental, Itaocara, Riscos

Resumo

INTRODUÇÃO: A Teoria da Justiça Ambiental inseriu um caráter social nas análises ambientais, através de estudos sobre o conhecimento e reação de diferentes grupossociais frente aos processos de degradação ambiental. Este estudo procurou verificar se , de fato, existe uma relação entre classe social, conhecimento da existência e o grau deexposição a problemas ambientais. METODOLOGIA: A coleta de dados foi realizada através de um questionário, que foi aplicado em uma amostra de 90 famílias nomunicípio de Itaocara, selecionadas aleatoriamente em 3 áreas. Além disso, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com autoridades municipais e membros de organizações ambientais. RESULTADOS: Os resultados obtidos mostram que há uma distribuição desigual dos riscos ambientais, embora estes não relacionados diretamente à degradação ambiental, especialmente em áreas mais pobres de Itaocara. Além disso, os resultados mostram que as questões de caráter ambientais terem se difundido na sociedade (independentemente de variáveis como renda, educação e localização), estas ainda não se tornaram determinantes para forçar uma mudança no comportamento social frente às causas e conseqüências destes problemas. CONCLUSÃO: A existência de problemas ambientais, e de seu reconhecimento, não parece ser suficiente para gerar mobilização social na busca de soluções. Este fato parece estar ligado a uma incipienteinstitucionalização da questão ambiental, tanto no âmbito do Estado como da sociedade civil.

Biografia do Autor

Filipe Correia Duarte
Laboratório de Estudos do Espaço Antrópico, Centro de Ciências do Homem, UENF
Marcos Antonio Pedlowski
Laboratório de Estudos do Espaço Antrópico, Centro de Ciências do Homem, UENF