SOBRE O ENSINAR E O APRENDER FILOSOFIA NO ENSINO MÉDIO

  • Laís Rodrigues Ferreira
  • Dalton José Alves
Palavras-chave: Filosofia, Ensino Médio, Metodologia do Ensino

Resumo

A obrigatoriedade da filosofia no ensino médio a partir de 2008, suscitou a necessidade de uma compreensão sobre o ensino desta disciplina nas escolas da Região Norte Fluminense I, no que tange ao trabalho em sala de aula, ou seja, questões didático-metodológicas do ensino da disciplina, material didático e bibliográfico utilizados pelos professores, bem como em relação à demanda por professores formados na área. A pesquisa iniciou com uma revisão bibliográfica sobre os estudos recentes relativos à metodologia do ensino de filosofia e acerca do processo histórico da inserção desta disciplina no currículo escolar. Isto serviu de base para a discussão destes temas na Disciplina “Sociologia, Filosofia e Ensino”.Participou-se também como colaboradora na aplicação de questionários do Projeto de Extensão:“Filosofia e Sociologia no ensino médio da Região NF-1”,coordenado pelo professor orientador com o objetivo de traçar o perfil dos docentes,levantar ementas, programas, metodologias ebibliografia utilizadas.Posteriormente a tabulação e análise dos dados foram confrontadas com a revisão bibliográfica. Desses dados destacou-se aquele referente ao perfil dos docentes (em %):70,4 é formada em pedagogia, 18,5 filosofia, 11,1 sociologia; o plano de curso: organizado por temas sugeridos (22,2); temas e história da filosofia (51,9); temas filosóficos (59,3); perspectiva histórica (63,0); problemas da atualidade (70,4); e recursos  idáticos: apesar de 59,3 afirmar que utiliza livro didático, na realidade utilizam também e sobretudo outros recursos (92,6), sendo:44,4 jornais;51,9 revistas; 66,7vídeos e filmes; 11,1música;22,2 apostilas e textos extraídos da internet.Notou-se que a metodologia de ensino se alinha ao senso comum do aprender a filosofar versus o ensinar filosofia. Porém, a revisão bibliográfica mostra que esta é uma falsa polêmica e que se aprende a filosofar dominando o conteúdo da filosofia, não se filosofa no vazio. Isto é devido à maioria não ter formação na área, logo, não dominam o conteúdo, daí utilizar-se de outros recursos ao invés dos próprios filósofos.Nestas possíveis lacunas enfatiza-se a importância da UENF na formação (Licenciatura) nesta área.