USO DE ENRIQUECIMENTO AMBIENTAL: PRESA ARTIFICIAL GUIADA POR CONTROLE REMOTO PARA O ESTÍMULO DO COMPORTAMENTO PREDATÓRIO EM Harpia harpyja NO ZOOLÓGICO DO RIO DE JANEIRO – RJ

  • Leonardo Luiz Correa Vilela Pinto
  • Carlos Ramon Ruiz-Miranda
Palavras-chave: Harpia harpyja, comportamento animal, enriquecimento ambiental

Resumo

A prática do enriquecimento ambiental consiste no uso de itens para minimizar a influência do cativeiro e obter um aumento do tempo gasto pelo animal em um determinado evento comportamental que é realizado com maiores freqüências em habitat natural que em ambiente restrito. A Harpia harpyja é um predador de topo de cadeia, capaz de capturar primatas e animais de médio porte. Trata-se de uma espécie classificada como vulnerável e que exige cuidados significativos, o que resulta na necessidade do aumento do número de trabalhos de pesquisa realizados em cativeiro. O presente estudo objetiva verificar a eficiência do uso de presas móveis como enriquecimento ambiental para aves rapinantes em cativeiro. A coleta de dados será realizada na Fundação RIOZOO, a qual possui um recinto onde se encontra um casal de H. harpyja. Será utilizado o método de observação do animal focal para coleta de dados relacionados ao comportamento animal, antes, durante e depois da introdução do enriquecimento ambiental. Ao invés da alimentação usual, será usado um carrinho de controle remoto, portando a quantidade de carne para a refeição do casal, buscando estimular o comportamento predatório desses indivíduos. Respostas comportamentais em relação a uma presa móvel dentro do recinto serão observadas. Serão obtidos dados sobre o comportamento animal sem o enriquecimento ambiental, para posterior avaliação da eficiência da introdução do enriquecimento. O peso dos indivíduos será comparado antes e depois da introdução da presa artificial. Este projeto está em vias iniciais de execução, contudo espera-se que as taxas de eventos comportamentais associados ao comportamento predatório sejam expressas e observadas de maneira mais intensa após a introdução do enriquecimento e comportamentos estereotipados deverão ser expressos com menor freqüência. Diferenças no ganho de peso indicarão uma maior movimentação ou gasto de energia na perseguição à presa artificial. Trabalhos dessa estirpe são fundamentais para a preservação de espécies, conservação e bem-estar dos indivíduos que residem em cativeiro, tornando a sua residência mais confortável. O desenvolvimento dos métodos utilizados nessa pesquisa proporcionará a utilização dos mesmos para outros gêneros de predadores carnívoros.
Publicado
15-03-2011