UTILIZAÇÃO DE NEFELINA SIENITO E ARGILA CAULINÍTICA PARA A OBTENÇÃO DE REVESTIMENTO CERÂMICO

  • Kênia Oliveira Teixeira
  • Carlos Maurício Fontes Vieira
Palavras-chave: Argila caulinítica, nefelina sienito, revestimento cerâmico

Resumo

Este trabalho tem por objetivo obter revestimento cerâmico vitrificado adicionando o fundente nefelina sienito em argila caulinítica de Campos dos Goytacazes e investigar o efeito da variação da temperatura de queima nas propriedades físicas e mecânicas de cerâmica para revestimento gresificado.A implantação de indústrias voltadas para a fabricação de revestimentos prensadosutilizando argilas regionais desponta como uma alternativa para o aprimoramento do pólo cerâmico de Campos dos Goytacazes. Foram preparadas formulações com 0, 30 e 50% em peso de nefelina sienito em mistura com a argila. Corpos-de-prova foram obtidos por prensagem uniaxial a 30 MPa com 8%de umidade. Em seguida, os corpos-de-prova foram secos em estufa a 110oC por 24 horas. A etapa de queima foi realizada em forno de laboratório nas temperaturas de 1100, 1150 e 1200oC. A taxa de aquecimento empregada foi de 10oC/min, com 6 min na temperatura de patamar. O resfriamento foi realizado desligando-se o forno. Após queima, foram realizados ensaios tecnológicos para determinação da densidade aparente, retração linear, tensão de ruptura à flexão em 3 pontos e absorção de água. Na utilização de nefelina sienito observou que a densidade aparente a secopossibilitou uma melhora significativa na densificação da argila que possibilitou um melhor empacotamento das partículas na conformação e que a absorção de água da argila em todas as temperaturas investigadas possibilitou a obtenção de revestimento tipo grés. Em relação a ruptura à flexão das cerâmicas melhorou a resistência mecânica da argila obtendo revestimento do tipo grés.Quanto a retração linear a utilização da nefelina sienito fez com que as peças sofressem a redução nas temperaturas de 1100 e 1200oC.Já a 1150oC o efeito foi ao contrário,este comportamento é possivelmente atribuído à formação de fase líquida. A incorporação de nefelina sienito possibilitou uma melhora significativa nas propriedades de queima da argila caulinítica. Esta combinação quantidade de fundente/temperatura de queima é a mais indicada para um eventual teste em escala industrial para a obtenção de revestimento gresificado.