A COSTA DO PETRÓLEO: A INFLUÊNCIA DO PETRÓLEO NOS MUNICÍPIOS CONFRONTANTES COM A BACIA DE CAMPOS E A ÁREA DO PRÉ-SAL

  • Lívia Silva de Carvalho
  • Matheus Pepe Crespo
  • Romeu e Silva Neto
Palavras-chave: Espírito Santo, petróleo, pré-sal

Resumo

O estado do Espírito Santo participa hoje com pouco mais de 2% do PIB nacional. Entretanto, nos últimos anos há um esboço de reação por parte da economia do estado. Credita-se este aquecimento econômico a chegada da cadeia produtiva de petróleo, processo que se intensificou com as recentes descobertas das reservas do pré-sal. Oprincipal objetivo é realizar uma pesquisa que trace o novo perfil sócio-econômico e produtivo do estado, realizando uma comparação do Espírito Santo para com ele mesmo.Primeiramente foram pesquisados os dados do PIB do Estado do Espírito Santo, bem como sua taxa de crescimento real em comparação com o Brasil. Posteriormente foram analisados os dados das participações das microrregiões no PIB estadual a fim de estabelecer uma comparação do seu desenvolvimento ao longo dos anos com o aumento das atividades petrolíferas no estado. O Espírito Santo saiu da 5ª posição no ranking nacional para se tornar a segunda maior província petrolífera do país, ficando atrás apenas do Rio de Janeiro, o que o coloca em posição de destaque no cenário nacional. O estado tem investimentos previstos até 2012 para as microrregiões Metropolitana, Pólo de Linhares eRegião Expandida Sul, investimentos estes que estão relacionados principalmente com o setor de indústria. Verifica-se que 18,3% do montante a ser investido está concentrado na metalurgia básica, que corresponde à instalação, ampliação e modernização da indústria siderúrgica capixaba. A extração de petróleo e serviços  relacionados participa com 16,7% das intenções de investimentos, incluindo o transporte e atividades de suprimento.