EFEITO DA DIETA NA BIOLOGIA DE DUAS ESPÉCIES DE LEUCOCHRYSA (INSECTA, NEUROPTERA, CHRYSOPIDAE) DA REGIÃO NORTE FLUMINENSE

Autores

  • Silvio Augusto Schuabb Albertino
  • Gilson Silva Filho
  • Gilberto Soares Albuquerque

Palavras-chave:

Leucochrysa, biologia, dieta

Resumo

Os crisopídeos vêm sendo usados em programas de controle biológico em várias partes do mundo. Porém, por falta de conhecimento sobre as espécies nativas, isso ainda não ocorre no Brasil. Esse estudo tem como finalidade testar o efeito da dieta larval na biologia de Leucochrysa spp., visando fornecer subsídios para avaliar seu potencial como agentes de controle biológico de pragas de ambientes arbóreos da região Norte Fluminense.As coletas das gerações parentais de Leucochrysa foram realizadas em fragmentos de Mata Atlântica e em pomares de goiabeira. Os adultos foram colocados em gaiolas no laboratório, onde receberam água destilada e alimento composto de levedo de cerveja, frutose e mel. O experimento consistiu no acompanhamento do desenvolvimento e reprodução de duas espécies de Leucochrysa a 24ºC e comparação dos resultados obtidos com duas dietas: ovos de Anagasta kueniella e pulgões (dieta 1) e ovos de Anagasta kueniella (dieta 2, anteriormente testada). Utilizaram-se 25 ovos de cada espécie de Leucochrysa e avaliou-se o tempo de desenvolvimento, sobrevivência e oviposição (fecundidade e fertilidade).O tempo de desenvolvimento total (ovo-adulto) de L. digitiformis foi de 36,4 dias, enquanto o de Leucochrysa sp. foi de 41,8 dias na dieta 1, sendo comparativamente maior para L. digitiformis e menor para Leucochrysa sp. em relação à dieta 2. A sobrevivência foi de 34,8% para L. digitiformis e de 40,7% para Leucochrysa sp., valores inferiores aos obtidos na dieta 2, sendo que a maioria das mortes ocorreu quando as larvas se encontravam no estágio de pré-pupa, ou seja, estas não teceram casulo apropriadamente. Na dieta 1, as fêmeas de Leucochrysa sp. não ovipositaram, enquanto L. digitiformis apresentou fecundidade de 72 ovos e fertilidade de 73,6%, valores esses bem inferiores à dieta 2.O desempenho de Leucochrysa spp. foi semelhante nas duas dietas. O fato da sobrevivência ter sido baixa reflete a relativa inadequação das mesmas para a criação e multiplicação de ambas espécies, sendo necessários estudos com outras dietas para verificar seu potencial no controle de pragas.

Biografia do Autor

Silvio Augusto Schuabb Albertino