ESTRESSE ABIÓTICO EM TOMATEIRO: UMA ABORDAGEM FISIOLÓGICA PARA IDENTIFICAÇÃO DE GERMOPLASMA RESISTENTE A ALTAS TEMPERATURAS

Autores

  • ROBERTO ANTÔNIO DA COSTA JERÔNIMO JUNIOR
  • ROSANA RODRIGUES
  • ÂNGELA PIERRE VITÓRIA
  • CÍNTIA DOS SANTOS BENTO
  • FREDERICO PINTO

Palavras-chave:

germoplasma, mudanças climáticas, hortaliças

Resumo

Um dos mais importantes efeitos do aquecimento global é o impacto de altas temperaturas na agricultura. Os efeitos adversos do estresse por alta temperatura poderão ser reduzidos pelo desenvolvimento de cultivares com termo-tolerância. O presente trabalho teve como objetivo investigar a resposta de quatro variedades heirloom e uma cultivar de tomateiro (‘Santa Clara’)submetidas a um curto período de estresse por alta temperatura.O experimento foi conduzido em câmara de crescimento, com fotoperíodo controlado. As mudas foram produzidas sob temperatura de 25º. C e quando as plântulas estavam com a quarta folha definitiva, as mesmas foram expostas a temperatura de 35º. C por um período de cinco dias. Os parâmetros ecofisiológicos avaliados foram 1) fluorescência da clorofila a: Fluorescência mínima (F0); Fluorescência máxima (Fm); Eficiência quântica potencial do fotossistema II (FV/Fm); 2) Trocas gasosas: feitas utilizando-se um analisador de gás carbônico no infravermelho portátil, de circuito fechado, para medida da taxa fotossintética, taxa de transpiração, condutância estomática e concentração de carbono interno.A razão FV/Fm indicou que não houve alteração para esta etapa fotossintética em nenhum dos genótipos testados. Todavia, houve diferença significativa nas trocas gasosas, considerando as duas temperaturas, e o aumento da temperatura ocasionou aumento na taxa de transpiração e na condutância estomática. A taxa fotossintética líquida aumentou para UENF155, UENF157 e UENF158. Houve aumento significativo para a concentração de carbono interno somente para UENF157 e ‘Santa Clara’. O genótipo UENF222 manteve seus parâmetros fisiológicos estáveis durante o tratamento com temperatura alta.A análise conjunta dos dados sugere que o processo fotossintético de tomateiros não foi significativamente afetado pelo aumento transitório da temperatura.

Biografia do Autor

ROSANA RODRIGUES

FREDERICO PINTO

Publicado

28-03-2012