ALPHA-GLUCOSIDASE DE Aedes aegypti E SEU POTENCIAL DE DETOXIFICAÇÃO DE HEME

Autores

  • Magda Delorence Lugon
  • F. B. Mury
  • M. Dansa-Petretski

Palavras-chave:

hematofagia, pH, epitélio intestinal

Resumo

Em Rhodnius prolixus, uma -glucosidase da membrana perimicrovilar parece estarenvolvida na formação de Hemozoína (Hz) que, neste inseto, ocorre em pH ácido. Em Aedesaegypti a detoxificação de heme é realizada no intestino médio posterior, pela associação à matrizperitrófica, sendo o pH do intestino médio posterior de Ae. aegypti básico. O objetivo deste trabalhoé investigar se a-glucosidases presentes no trato digestivo de Ae. aegypti também apresentamatividade de cristalização de heme in vitro e se esta atividade é dependente de pH. Nossos dadosmostram que o extrato protéico de epitélios de intestinos médios de Ae. aegypti catalisa in vitro aformação de cristais de heme, que analisados por FTIR mostraram-se muito similares a Hz. Alémdisso, esta atividade de formação dos cristais de heme, a partir de extrato protéico de epitélios deintestinos médios, ocorre também em pH ácido, com pico em pH 4,5, sugerindo que o lúmenintestinal não apresenta condições fisiológicas compatíveis com essa atividade.

Biografia do Autor

Magda Delorence Lugon

UENF/Laboratório de Química e Função de Proteínas e Peptídeos

F. B. Mury

UENF/Laboratório de Química e Função de Proteínas e Peptídeos

M. Dansa-Petretski

UENF/Laboratório de Química e Função de Proteínas e Peptídeos

Downloads