BIODEGRADAÇÃO DE PETRÓLEO E PRODUÇÃO DE BIOSSURFACTANTE POR BACTÉRIAS INDÍGENAS DO SEDIMENTO DO MANGUEZAL DE GARGAÚ - RJ

Autores

  • Aline Márcia Ferreira Dias da Silva
  • R. M.C. Wetler-Tonini
  • A. L.R. Wagener
  • A. D. Gravitol
  • C. E. Rezende

Palavras-chave:

colapso da gota, HPAs, biorremediação

Resumo

O presente trabalho consistiu em isolar e cultivar bactérias utilizando petróleocomo única fonte de carbono e avaliar a produção microbiana de biossurfactante utilizandoglicose. Uma alíquota do sedimento coletado foi diluído serialmente e plaqueado emmeio para heterotróficos totais e em meio para degradadores de petróleo. Apóscrescimento foi realizada contagem dos microrganismos, aqueles que cresceram emmeio para degradadores de petróleo foram isolados em placas de ágar nutriente esubmetidos ao teste de colapso da gota para avaliação quanto à capacidade de produçãode biossurfactante. Outra alíquota do sedimento foi incubada com 2% de petróleo até adegradação visual do poluente e o procedimento anterior foi repetido. Obteve-sediferença na contagem dos microrganismos após a incubação com o petróleo e quantoao meio de cultura utilizado, demonstrando a ação seletiva do poluente sobre acomunidade microbiana do manguezal estudado. Além disso, foram obtidas bactériasindígenas do sedimento capazes de produzirem biossurfactante, indicando suaaplicabilidade em processos de biorremediação.

Biografia do Autor

Aline Márcia Ferreira Dias da Silva

UENF/Laboratório de Ciências Ambientais

R. M.C. Wetler-Tonini

UENF/ Laboratório de Ciências Ambientais

A. L.R. Wagener

PUC-RJ/ Departamento de Química

A. D. Gravitol

UENF/ Laboratório de Ciências Ambientais

C. E. Rezende

UENF/ Laboratório de Ciências Ambientais

Downloads