ANÁLISE MORFOESTRUTURAL DE GENÓTIPOS DE CAPIM ELEFANTE (PENNISETUN PURPUREM SCHUM.) PARA PRODUÇÃO DE ENERGIA ALTERNATIVA

  • Caio Cezar De Andrade Rodrigues UENF
  • Lucival De Souza Junior UENF
  • Hernán Maldonado Vásquez UENF
  • Daniela Batista Oss UENF
  • Welington Sérgio Silva Idalino UENF
Palavras-chave: Capim-elefante, Morfoestrutura, Carvão vegetal,

Resumo

O Brasil é um grande consumidor de energia derivada do petróleo, no entanto, a energia térmica liberada pelo carvão vegetal (briquetes densos) oriunda de resíduos lignocelulósicos assume importância singular na matriz energética nacional, sendo classificada como fonte alternativa ambientalmente correta. O conhecimento da característica morfoestrutural de genótipos de capim elefante (Pennisetum purpureum) é de fundamental importância para mensurações dos estoques de carbono na biomassa vegetalFoi adotado um fatorial em delineamento blocos ao acaso no esquema de parcela subdividida (6 x 5 x 4). Analisaram-se o acúmulo de biomassa, a fenologia e os aspectos anatômicos em genótipos de capim elefante: CNPGL 00-13-1, CNPGL00-129-1, CNPGL91-28-1, CNPGL93-41-1, CNPGL00-123-1 e a cultivar Cameron que, após corte de amostragem, foram fragmentados em folha, colmo mais a bainha e material morto. Posteriormente mediu-se o diâmetro e comprimento do colmo e folhas. Após essa etapa foi calculada a densidade de biomassa de capim empilhado (massa de capim kg ha-1) e o balanço de carbono na produção de biomassa e posterior transformação em carvão vegetal.Para o intervalo de tempo compreendido de 90 a 150 dias de rebrota notou-se que os parâmetros altura do dossel em metros e diâmetros do colmo em centímetros apresentaram comportamento linear crescente, excetuando, o genótipo CNPGL 00-123-1, que a partir dos 120 dias de rebrota apresentou ligeira diminuição no diâmetro do colmo, possivelmente por um estiolamento apresentado pela competição na incidência de luz no dossel. O parâmetro número de perfilhos por metro quadrado apresentou comportamento linear decrescente para os todos os genótipos, caracterizando que com o crescimento do dossel forrageiro há diminuição do suprimento de luz nas gemas basais e conseqüente redução de perfilhos.As características morfoestruturais variaram com a idade dos genótipos, apresentando acréscimos e decréscimos. A baixa incidência de luz nas gemas de crescimento reduziu o número de perfilhhos/m2. O genótipo CNPGL 00-123-1 apresentou estiolamento do colmo e conseqüente redução de biomassa vegetal.
Publicado
28-02-2013