ESTUDO ALOMÉTRICO DO CAMARÃO SETE-BARBAS (XIPHOPENAEUS KROYERI) NO LITORAL NORTE DO RIO DE JANEIRO.

  • Leonardo Teles Faber UENF
  • Ana Paula Madeira Di Beneditto UENF
  • Fábio Guilherme Bissaro UENF
  • José Louvise Gomes Júnior UENF
Palavras-chave: Camarão, Alometria, Maturação,

Resumo

O camarão sete-barbas (Xiphopenaeus kroyeri) distribui-se por toda costa do Atlântico Ocidental, da Virgínia (EUA) ao Rio Grande do Sul (Brasil). A espécie apresenta dimorfismo sexual e as variações apresentadas pelos indivíduos durante o crescimento são responsáveis por diferenças morfológicas. O objetivo desse estudo foi analisar as diferenças alométricas em relação ao sexo e estado de maturação na população que ocorre no Farol de São Tomé, litoral norte do Rio de Janeiro.A coleta, feita através da atividade de pesca, foi trazida ao laboratório onde foi triada de acordo com sexo e estágio de maturação. Os camarões foram medidos em relação aos comprimentos total e do cefalotórax e pesados. Cada indivíduo teve o cefalotórax fotografado com uma Canon Powershot e os sete marcos anatômicos com correspondência biológica e os nove semimarcos foram digitalizados no programa TpsDig 2.16 (Rohlf, 2010). Para verificar as diferenças alométricas de forma (causadas por diferenças de tamanho) foi feita uma análise de covariância (ANCOVA) utilizando os sexos como fator, a primeira deformação relativa como variável dependente e o tamanho do cefalotórax como covariável.A ANCOVA mostrou que há interação significativa entre o tamanho do cefalotórax e a sua forma (F= 33.0334 e P<0, 0001), indicando que não há uma única relação entre tamanho e forma para os grupos estudados. Segundo Branco (2005), os camarões peneídeos apresentam tendência de crescimento alométrico diferenciado entre os sexos, com os machos atingindo, em média, menor peso que as fêmeas para uma mesma classe de comprimento. De acordo com Hartnoll (1982), a variação morfológica entre o estágio imaturo e maturo deve-se ao aumento das dimensões em razões diferentes de um organismo para outro.Houve diferenciação morfológica entre as diferentes faixas etárias para os indivíduos de ambos os sexos. Conforme esperado, também se verificou crescimento alométrico diferenciado, com os machos maduros possuindo tamanhos menores que as fêmeas no mesmo estágio de maturação.
Publicado
01-03-2013