CATETERISMO POSTERIOR DO PLEXO BRAQUIAL: EFICÁCIA ANESTÉSICA, AVALIAÇÃO DE 3 DOSES DE MORFINA E ESTUDO RADIOLÓGICO

  • Priscilla Olivieri Benck De Jesus UENF
  • Anderson Nunes Teixeira UENF
  • Helena Kiyomi Hokamura UENF
  • Fernanda Antunes UENF
  • Daniela Cristina Oliveira Da Silva UENF
Palavras-chave: Plexo braquial, Controle da dor, Anestesia loco-regional,

Resumo

Procedimentos cirúrgicos em membros torácicos podem ser facilmente realizados com anestesia regional. Neste caso, a anestesia do plexo braquial é indicada, principalmente em pacientes de risco. Além dos anestésicos locais, os fármacos morfinomiméticos, são necessários para o alívio da dor e conforto em procedimentos cirúrgicos. O presente trabalho tem a finalidade avaliar a técnica de cateterismo posterior do plexo braquial para procedimentos cirúrgicos em membros torácicos.: Foram utilizados 3 cães, separados aleatoriamente em 3 grupos (G1, G2, G3). Os animais foram sedados com acepromazina, 0,05 mg.kg-1 pela via intramuscular e após 15 minutos, induzidos com propofol, dose-efeito pela via intravenosa. Todos os animais foram submetidos ao bloqueio posterior do plexo braquial com cateter epidural 16G, comprovando o correto posicionamento do cateter através de radiografias. A solução anestésica local utilizada foi a lidocaína 2% sem vasoconstrictor e o fármaco analgésico foi a morfina 10 mg.ml-1. Em todos os grupos foi utilizada lidocaína, 1 ml/4,5 kg. As doses de morfina utilizadas foram: G1: 1,0 mg.kg-1, G2: 0,5 mg.kg-1, G3: 0,1 mg.kg-1.O procedimento radiográfico comprovou o correto posicionamento do cateter nos 3 animais. Todos os 3 grupos apresentaram perda de atividade motora imediatamente após a aplicação dos fármacos e perda de reflexo sensitivo após 30 segundos. O bloqueio motor e sensitivo permaneceu por 12 horas no grupo 1, 2 horas no grupo 2 e 30 minutos no grupo 3. A eficácia analgésica foi constatada nos 3 grupos, porém no grupo 1, devida a dose de morfina, o animal permaneceu sedado por 24 horas. O protocolo anestésico do grupo 2, promoveu boa analgesia e não conferiu tempo exacerbado de sedação, ao término do tempo de analgesia (2 horas), o animal apresentava as funções motoras normais.A associação de lidocaína associada à morfina, aplicadas em um cateter posicionado no plexo braquial, contribui com o alívio da dor e conforto para procedimentos cirúrgicos em membros torácicos. Será necessário um número maior de animais para análise estatística.
Publicado
07-03-2013