AVALIAÇÃO DE NOVAS VARIEDADES DE CAFÉ IMPLANTADAS NA REGIÃO NORTE FLUMINENSE VISANDO A RESISTÊNCIA À FERRUGEM

  • Gilberto Rosa De Sousa Filho UENF
  • Henrique Duarte Vieira UENF
  • Weverton Pereira Rodrigues UENF
Palavras-chave: Café, Ferrugem, Doença,

Resumo

A ferrugem é a doença mais importante do cafeeiro, pois uma vez instalada e sem controle, as plantas podem apresentar sinais de depauperamento comprometendo a produção. O uso de cultivares resistente ou tolerante é importante, uma vez que reduz o uso de defensivos, contribuindo para a redução do custo de produção da cultura. O objetivo do trabalho é estudar o comportamento de cultivares de café com resistência a ferrugem nas condições do Noroeste Fluminense.O experimento foi instalado em 2007 na fazenda Panorama I no município de Varre Sai – RJ. Estão sendo avaliados 25 genótipos em delineamento inteiramente casualizado, sendo 5 repetições, com 8 plantas em cada repetição. A avaliação da incidência da ferrugem é feita observando os sintomas em quatro ramos produtivos, sendo dois ramos de cada lado da planta, no terço médio, ao acaso, do 3º até o 6º par de folhas a partir do ápice totalizando 32 folhas por planta, em três plantas ao acaso dentro da parcela. Para a avaliação da produtividade, o volume colhido de café maduro é transformado em sacas beneficiadas/ha pelo uso da escala de 480 litros de café cereja por saca beneficiada de 60 kg.Até o momento, os genótipos não manifestaram a doença. Provavelmente, alguns fatores podem ter contribuído para a não ocorrência da doença como a variação de temperatura e ou umidade. O bom estado nutricional das plantas também pode ter contribuído para tal fato. Quanto à produtividade esta sendo realizada a colheita de acordo com a época de maturação de cada genótipo. Considerando as médias de produtividades dos anos de 2009 e 2010, os materiais que se destacaram até o momento foram: Catucaí amarelo 2 SL, Catiguá MG 02, Acauã, Palma II, Sabiá 398, IPR 103/Iapar, IPR 100/Iapar, H 419-10-6-2-12-1, Catucaí amarelo 24/137, Iapar 59, Catucaí amarelo 20/15, H 419-10-6-2-5-10-1 e H 419-10-6-2-5-1Os genotipos Catiguá MG 02, IPR 103/Iapar e IPR 100/Iapar apresentaram as maiores produtividades tanto em 2009 quanto em 2010. Para a ferrugem, ainda não se pode determinar quais genótipos são resistentes a doença.
Publicado
07-03-2013