ESTUDO PREELIMINAR DA SQUAMATOFAUNA DA REGIÃO ADJACENTE AO LAGO DA UENF

  • Carlos Henrique De Oliveira Nogueira UENF
  • Carlos Alberto Pereira Junior UENF
  • Alanna Medeiros Botelho UENF
  • Nathalia Nascimento De Freitas UENF
  • Leonardo Serafim Da Silveira UENF
Palavras-chave: Zoologia, Herpetofauna, Squamata,

Resumo

A conservação da biodiversidade é um dos desafios deste século em função das perturbações antrópicas nos ecossistemas, tendo como conseqüência a fragmentação dos mesmos e o isolamento das populações animais nos fragmentos restantes. Inventários faunísticos são fundamentais para a compreensão e conservação da biodiversidade, existindo poucos dados sobre áreas antropizadas. Esse estudo visou inventariar os répteis do campus da UENF e alertar a comunidade sobre a importância de sua preservação.O campus da UENF tem uma área total é de 484.000 m², sendo boa parte desta ocupada por prédios. A vegetação é rasteira, predominando gramíneas e algumas espécies de árvores paisagísticas. A área de amostragem possui um lago sazonal, com vegetação de borda composta por gramíneas, árvores de médio porte e árvores frutíferas. Os répteis foram amostrados de Abril a Novembro de 2010 pelo método de procura limitada por tempo, com esforços de duas pessoas, totalizando 288 horas de amostragem. Os animais encontrados foram fotografados, identificados e não capturados. Além da procura limitada por tempo, foram realizadas entrevistas com funcionários da universidade.A squamatofauna mostrou-se composta por 10 espécies, distribuídas nas famílias Tropiduridae (Tropidurus sp.), Gekkonidae (Hemidactylus sp.), Teiidae (Ameiva ameiva; Tupinambis merianae), Dispsadidae (Liophis miliaris; Philodryas patagoniensis; Oxyrhopus petola; Helicops carinicaudus; Xenodon merremii) e Boidae (Boa constrictor). Apesar dos relatos dos funcionários apontarem para a existência de serpentes da família Viperidae no local, durante a realização do trabalho nenhuma foi encontrada, e as únicas serpentes peçonhentas registradas foram opistóglifas da família Dipsadidae (Philodryas patagoniensis e Oxyrhopus petola).Concluímos que um estudo mais detalhado precisa ser realizado para se ter a real dimensão da fauna da região, mas de antemão podemos afirmar que aquela é uma área que precisa ser preservada por servir de abrigo para várias espécies, não só de répteis, mas também de anfíbios, aves e mamíferos.
Publicado
07-03-2013