LEVANTAMENTO DA ANUROFAUNA DA REGIÃO ADJACENTE AO LAGO NO CAMPUS DA UENF

  • Carlos Alberto Pereira Junior UENF
  • Carlos Henrique De Oliveira Nogueira UENF
  • André Luis Pereira Lopes UENF
  • Yan Gabriel Celli Ramos UENF
  • Leonardo Serafim Da Silveira UENF
Palavras-chave: Zoologia, Herpetofauna, Anuros,

Resumo

O Brasil é o líder mundial em diversidade de anfíbios com 877 espécies conhecidas. A principal ameaça à conservação desse grupo é a destruição de seus habitats, como conseqüência do desmatamento e urbanização. A obtenção de listas de espécies constitui-se no primeiro passo para o desenvolvimento de estratégias de conservação. O objetivo deste trabalho foi fornecer uma listagem preliminar de espécies de anuros do campus da UENF que possa embasar futuros projetos de conservação na região.O levantamento das espécies de anuros estendeu-se de Fevereiro a Novembro de 2010 utilizando-se o método de busca limitada por tempo. As campanhas foram noturnas, estendendo-se das 18 às 21h, com freqüência semanal. Os esforços de busca se concentraram nas áreas adjacentes ao lago sazonal encontrado no campus da UENF. Os registros dos indivíduos adultos foram realizados em campo por reconhecimento da vocalização emitida pelos machos ou por sua visualização. Todos os animais encontrados foram fotografados e não capturados. Em alguns casos, as fotos foram enviadas para herpetólogos para ajuda na identificação dos espécimes.A anurofauna mostrou-se composta por 10 espécies, representando as famílias Bufonidae (Rhinella pygmaea), Hylidae (Hypsiboas albomarginatus; Hypsiboas semilineatus; Scinax fuscovarius; Scinax alter; Dendropsophus elegans; Dendropsophus meridianus), Leiupedridae (Physalaemus marmoratus) e Leptodactylidae (Leptodactylus fuscus; Leptodactylus latrans). Durante esse estudo, obras foram realizadas nas margens e no lago, reduzindo a vegetação e diminuindo a retenção de água no local, o que levou a diminuição do número de indivíduos e de espécies observadas nos meses finais do trabalho. Após a obra Physalaemus marmoratus, Hypsiboas albomarginatus e Dendropsophus elegans não foram mais observados.Concluímos que, por se tratar de uma área com íntimo contato com o rio Paraíba do Sul, o lago da UENF recebe um grande número de espécies em épocas de cheia do rio, sendo sua preservação vital para a sobrevivência dessas espécies.
Publicado
07-03-2013