PROPRIEDADES MECÂNICAS E MORFOLÓGICAS DA MODIFICAÇÃO DA RESINA EPÓXI COM DIFERENTES AMINAS ALIFÁTICAS

  • Lucivan Pereira Barros Junior UENF
  • Camila Rodrigues Amaral UENF
  • Rubén J. Sanchéz Rodríguez UENF
Palavras-chave: Aminas alifáticas, DGEBA, Funcionalidade,

Resumo

As resinas epoxídicas são materiais termorrígidos utilizados para diversas aplicações. Isto é resultado de excelentes propriedades mecânicas, químicas e adesivas. O trabalho objetiva estudar a relação entre a estrutura da rede da resina Diglicidil éter de Bisfenol A (DGEBA), modificada com diferentes aminas alifáticas, e as propriedades mecânicas para utilização na formulação de compósitos particulados para uso abrasivo no polimento de rochas ornamentais.Os sistemas epóxidicos foram formulados a partir da mistura da resina DGEBA com as aminas, Tetraetilenopentamina (TEPA), Trietilenotetramina (TETA) e Jefamina D230 e as misturas destas aminas 70%TEPA/30%D230, e 70% TETA/30%D230. Estas misturas foram formuladas na razão estequiométrica, equivalente epóxi-equivalente amina. O sistema foi curado a uma temperatura acima da temperatura de transição vítrea. Para a caracterização mecânica foram realizados ensaios de flexão no método de três pontos de acordo com a norma ASTM D 790-03. Realizou-se a análise fractográfica após o ensaio de flexão para cada formulação na região da fratura realizada em um microscópio eletrônico de varredura (MEV).As curvas Tensão-Deformação dos sistemas modificados e não modificados mostram que a adição da amina D230 levou a um aumento na resistência a flexão para os dois sistemas epoxidicos modificados. Os sistemas modificados apresentaram um incremento no módulo de flexão à medida que a quantidade de Jefamina D230 aumenta. A explicação pode estar na modificação dos segmentos de cadeia que conforma a rede tridimensional da estrutura da resina. A densidade de entrecruzamentos diminui e conseqüentemente aumenta a mobilidade dos segmentos entre os nós da rede originando um maior módulo elástico.A análise micrográfica dos sistemas permitiu complementar a análise realizada nos gráficos tensão-deformação.Pode-se constatar que com a adição da amina D230 na estrutura epoxídica DGEBA/TETA e DGEBA/TEPA houve um aumento do módulo de flexão e do limite de resistência. Pelo MEV pode-se observar que com a adição da amina D230 houve uma pequena perda de plasticidade, tornando o material mais rígido.
Publicado
07-03-2013