DIGESTIBILIDADE, CONSUMO, GANHO DE PESO E RENDIMENTO DE CARCAÇA DE NOVILHOS DE CORTE EM PASTAGEM DE CAPIM-MOMBAÇA COM OU SEM SUPLEMENTAÇÃO ALIMENTAR

  • Ítalo Câmara De Almeida UENF
  • Carlos Augusto De Alencar Fontes UENF
  • Elizabeth Fonsêca Processi UENF
  • Renata Soares Tavares Da Silva UENF
  • Felipe Roberto Amaral Ferreira Do Valle UENF
Palavras-chave: Rendimento de carcaça, Suplementação proteico-energética, Capim-mombaça,

Resumo

A bovinocultura brasileira é caracterizada por sistemas extensivos de produção. Neste contexto, a produtividade e a eficiência alimentar são baixas. Contudo, a suplementação a pasto com alimentos energéticos é uma opção para aumentar a eficiência alimentar e a produtividade animal. Objetiva-se com esse trabalho avaliar a digestibilidade, o consumo, o ganho de peso e o rendimento de carcaça de novilhos de corte em pastagem de capim-mombaça com ou sem suplementação alimentar proteico-energética.A digestibilidade e o consumo alimentar individual foram estimados em dois ensaios durante o período experimental, utilizando-se a técnica do duplo indicador (óxido crômico e lignina em permanganato de potássio). O ganho de peso total (GP) foi determinado em função da diferença entre o peso vivo em jejum (PVJ) no início e fim do período experimental e o ganho médio diário (GMD) corresponde ao GP dividido pelo número de dias experimentais. O rendimento de carcaça foi determinado após o abate e foram realizadas avaliações ultrassonográficas de espessura de gordura e área de olho-de-lombo no fim de cada ciclo de pastejo e ao término do experimento.Os animais suplementados (SUPL) apresentaram maiores ganhos médios diários de peso que os animais não-suplementados (NSUPL).Verificou-se maior rendimento de carcaça quente e fria, em relação ao PVJ, dos animais do tratamento SUPL que do NSUPL, uma vez que estes foram abatidos com menor peso corporal que os animais SUPL. A regressão da área de olho-de-lombo, em função do peso corporal, indicou aumento contínuo da área com o aumento do peso do animal. O teste de identidade de modelos não revelou, entretanto, diferença entre as equações para animais SUPL e NSUPL. Em função de modificações no projeto de pesquisa, as análises referente a digestibilidade ainda estão em andamento.A suplementação teve influência sobre o melhor desempenho dos animais. Animais suplementados apresentaram maior rendimento de carcaça. A suplementação não altera a área de olho-de-lombo, como proporção do peso vivo, uma vez que o peso vivo eleva-se em proporção semelhante à área de olho-de-lombo.
Publicado
11-03-2013