ABORDAGEM GENÉTICO-FISIOLÓGICA NA RESPOSTA DE GENÓTIPOS DE TOMATEIRO RESISTENTES E SUSCETÍVEL À XANTHOMONAS SPP. SUBMETIDOS À ALTA TEMPERATURA

  • Roberto Antônio da Costa Jerônimo Júnior UENF
  • Rosana Rodrigues UENF
  • Ângela Pierre Vitória UENF
  • Cíntia dos Santos Bento UENF
  • Douglas Ribeiro UENF
Palavras-chave: Resistência a doenças, melhoramento de plantas, germoplasma,

Resumo

A mancha-bacteriana do tomateiro continua a ser uma doença economicamente importante em regiões tropicais e subtropicais em todo o mundo. A doença é causada por Xanthomonas spp e as plantas doentes têm desenvolvimento e produção reduzidos quando comparadas a plantas sadias. A resistência genética é a alternativa mais eficiente de controle. Porém, um fator que pode interferir na expressão de genes de resistência a doenças em plantas é o aumento da temperatura.Plantas do acesso UENF155, e das cultivares Hawaii 7998 (resistente à mancha-bacteriana) e Santa Clara (suscetível) foram cultivadas em câmara de crescimento, com fotoperíodo, temperatura e umidade controladas. As mudas foram produzidas sob temperatura de 25º. C e quando as plântulas estavam com a quarta folha definitiva foram expostas a temperatura de 35º. C por um período de cinco dias. Em seguida, três folhas foram inoculadas com três espécies de Xanthomonas. Os parâmetros ecofisiológicos avaliados foram: evapotranspiração (EVAP); condutância estomática (gs); taxa fotossintética (PN) e concentração de carbono interno (Ci).Houve diferença significativa entre os genótipos quando cultivados a 35º C na presença e na ausência da bactéria. ‘Santa Clara’, que é suscetível à mancha-bacteriana, foi a que teve os menores valores de EVAP, gs e PN quando inoculada com a bactéria e submetida a 35º C. ‘Hawaii 7998’ aparentemente não teve sua resistência à mancha-bacteriana comprometida visto que esse genótipo expressou reação de hipersensibilidade (RH) já esperada e manteve os valores de EVAP, gs, PN e Ci inalterados mesmo após a inoculação da bactéria em temperatura de 35º C. UENF 155, descrito como resistente a duas espécies de Xanthomonas também manteve inalterados seus valores para as variáveis estudadas.Esses resultados preliminares, sobretudo a confirmação da RH em \'Hawaii 7998\', parecem indicar que a temperatura de 35º C não influencia na expressão dos genes de resistência à mancha-bacteriana em tomateiro. Porém, novos ensaios deverão ser conduzidos para a confirmação dessa hipótese.
Publicado
14-03-2013