INFORMATIVIDADE E ANÁLISE DE LIGAÇÃO DE NOVOS MARCADORES LOCALIZADOS EM XQ 27.1-XQ27.2 PARA O DIAGNÓSTICO INDIRETO DE HEMOFILIA B.

  • Viviane Lamim Lovatel UENF
  • Filipe Brum Machado UENF
  • Antônio Francisco Alves Da Silva UENF
  • Enrique Medina-Acosta UENF
Palavras-chave: Hemofilia B, Análise de ligação, Diagnóstico indireto,

Resumo

Hemofilia B é uma doença hemorrágica, hereditária, recessiva ligada ao cromossomo X, causada por mutações no gene F9 codificador do fator IX de coagulação. Manifesta-se em 1 a cada 25.000 a 30.000 homens. A análise de segregação de marcadores multialélicos permite a identificação indireta de portadores de mutação. O objetivo deste projeto foi o desenvolvimento de marcadores polimórficos inéditos para análise de ligação e determinação de haplótipos para o diagnóstico indireto de hemofilia B.Mineração in silico de locos de STR tetranucleotídeos e pentanucleotídeos. O índice de polimorfismo foi determinado pela validação comparativa de banco de dados de 3 genomas de referência. Os novos marcadores foram utilizados no desenvolvimento de ensaio multiplex da Reação em Cadeia da Polimerase Quantitativa por Fluorescência (QF-PCR) e análise dos produtos por eletroforese capilar. As frequências alélicas e as taxas de heterozigose observadas e esperadas foram calculadas com o uso do programa livre PowerStats.Foram selecionados novos locos STR, seis tetranucleotídeos e um pentanucleotídeo, ligados ao gene F9. Para todos os locos STR identificados foram gerados os perfis alélicos, mostrando uma ótima precisão na tipagem experimental e análises de segregação de alelos. Os marcadores foram utilizados para o desenvolvimento de dois ensaios multiplex da QF-PCR. As taxas de heterozigose foram determinadas em 100 mulheres. Os locos STR foram polimórficos e informativos pela análise de ligação em dois núcleos familiares com pelo menos um acometido. A taxa combinada de heterozigose permitiu diferenciar todos os cromossomos X tipados.Utilizando os novos marcadores foi possível identificar portadoras da mutação pela identificação dos alelos do indivíduo acometido. Assim, estamos propondo um diagnóstico, cujo resultado poderá ser entregue em até 48h, um tempo recorde, por serem marcadores de fácil análise e visualização.
Publicado
14-03-2013