DIAGNÓSTICO DE HIPERTIREOIDISMO POR DOSAGEM DE TIROXINA (T4 TOTAL) EM GATOS ATENDIDOS NO HOSPITAL VETERINÁRIO DA UENF

  • Osana Prado Melo UENF
  • Maria Clara Caldas-Bussiere UENF
Palavras-chave: Tiroxina, Hipertireoidismo, Tireoide,

Resumo

Hipertireoidismo é um distúrbio decorrente da produção excessiva de tiroxina pela glândula tireóide. Em gatos é quase sempre causado por uma disfunção autonômica da tireóide e raramente por uma alteração no hipotálamo ou na hipófise. Pressupõe-se que fatores circulatórios, nutricionais e ambientais possam estar envolvidos na potegenia. O presente trabalho tem como objetivo fazer diagnóstico dos animais suspeitos de hipertireoidismo antes que estes cheguem ao estágio avançado da doença.O diagnóstico foi realizado através dos exames clínico e laboratoriais (hemograma, bioquimica sérica e dosagem hormonal). Foram coletadas amostras de sangue com seringas de 5 mL e colocadas em tubos com EDTA e com gel separador de soro (BD vacutainer), os quais foram centrifugadas (1500 g x 5 min) e estocadas em microtubos a -20°C até o dia da dosagem hormonal. A concentração do T4 total, foi determinada pelo Immulite 2000 (SIEMENS), no qual utiliza um imunoensaio competitivo, uma tecnologia de quimioluminescência direta e anticorpos monoclonais marcados com éster de acridiunium anti-T4. Para tais exames não houve restrições quanto à idade, sexo e raça dos animais.Dos 12 animais suspeitos, nenhum foi positivo. A realização de uma segunda coleta ocorreu em apenas dois animais, porque um apresentou a concentração de T4 total com valor acima do dobro da normalidade e o outro por estar bem próximo do limite superior. No primeiro caso, pode ter sido porque a gata na época da coleta encontrava-se prenhe, justificando o estado de “hipertireoidismo gestacional”. No segundo, pode ser devido à flutuação circadiana desse hormônio. Não notamos alterações relevantes no hemograma. Na bioquímica, apenas dois animais apresentaram elevação da alanina amimotransferase, sugerindo lesão hepatocelular. Não houve alterações nos valores de uréia e creatinina.Concluímos que, mesmo não tendo diagnosticado algum gato positivo para o hipertireoidismo, é importante fazer a triagem daqueles animais com algum sinal patognomônico do distúrbio, antes que estes cheguem ao estágio avançado da doença, permitindo aumento de sua sobrevida.
Publicado
19-03-2013