VIDROS ÓTICOS: DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA DE PREPARAÇÃO DE NANOMATERIAIS COM APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.

  • Roger Rangel Da Cunha UENF
  • Silvia Márcia Barreto Peixoto UENF
  • Valéria Nunes Belmonte UENF
  • Juraci Aparecido Sampaio UENF
Palavras-chave: Nanoporos, Vidros, Microscopia,

Resumo

O objetivo deste trabalho é investigar vidros aluminato de cálcio dopados com elementos dos metais de transição e das terras raras, que são bons candidatos para serem aplicados como laseres de microchip através da formação de nanoporos na matriz vítrea e impregnação com os dopantes de interesse.Como inovação no preparo das amostras propomos nesse projeto usar um método que vem sendo bastante utilizado na literatura especializada, que consiste na criação de nanoporos na superfície do vidro, através de ataque químico, que serão impregnados pelos íons de interesse e posterior sinterização. Dois tipos de ataque químico estão sendo usados: um ácido com solução de 1 M de HNO3 e um básico com solução de 0,1 M de KOH. Os experimentos estão sendo feitos em diversas temperaturas e tempos de ataque químico. A microscopia de força atômica está sendo usada para verificar o tamanho dos poros que estão sendo produzido em diferentes composições do vidro aluminato de cálcio sem dopantes.Em nossos experimentos usamos vidros com composições diferentes, como por exemplo a 36CaO: 40 Al2O3: 14 BaO: 3 Y2O3: 3 MgO: 4 B2O3 (peso %). As amostras foram colocadas em solução ácida de HNO3 (1 M) a uma temperatura de 70ºC durante 50 minutos, e submetidas à microscopia de força atômica, em que apresentou a formação de poros de 50 nm de profundidade e 369 nm de largura. Por outro lado o vidro composto por 34 CaO: 36 Al2O3: 17 BaO: 6 Y2O3: 3 MgO: 4 B2O3 (peso %) lixiviados pela mesma solução ácida tiveram resultados similares. Estamos também investigando o que ocorre quando as amostras são submetidas à lixiviação básica com solução de KOH(0,1M) a 95ºC e tempos de ataque diversos.Os estudos ainda estão em fase inicial, logo os resultados demonstram a necessidade de ajustes em alguns parâmetros como tempo e temperatura de lixiviação, e até mesmo variação composição das amostras para atingir os objetivos propostos. Conclui-se que a metologia empregada está no caminho correto.
Publicado
25-03-2013