INCORPORAÇÃO DE VIDRO PLANO EM CERÂMICA VERMELHA

  • Patricia da Silva Pereira Instituto Federal Fluminense
  • Thaís Cristina da Costa Caldas Instituto Federal Fluminense
  • Alline Sardinha Cordeiro de Moraes Instituto Federal Fluminense
  • Carlos Maurício Fontes Vieira
Palavras-chave: Cerâmica vermelha, Vidro, Resíduo

Resumo

A reciclagem e o reaproveitamento de resíduos tem sido uma preocupação mundial, visto que não há uma destinação final adequada dos resíduos sólidos urbanos. Assim, busca-se soluções, tendo em vista a sustentabilidade e o comprometimento com a questão ambiental. O resíduo investigado foi o vidro,que tem como agravante não ser biodegradável. Foi proposto a avaliação do efeito da utilização de vidro plano em cerâmica vermelha, analisadas em duas temperaturas de queima :850 e 1050oC. Utilizou-se os seguintes materiais: argila amarela, usada para fabricação de cerâmica vermelha e resíduo do vidro plano em forma de pó (passante na tela #130), proveniente da construção civil. O vidro plano foi caracterizado em termos de sua composição química e mineralógica. Foram preparadas quatro formulações com a incorporação do resíduo na argila nas quantidades: 0, 2,5, 5 e 10% em peso. Corpos-de-prova de dimensões (11,5x2,5x1,0cm) foram conformados por prensagem uniaxial ,adicionou-se umidade, foram secos em estufa e foram queimados a 850 e 1050°C em um forno elétrico. As propriedades físicas e mecânicas avaliadas foram: retração linear absorção de água e tensão de ruptura à flexão. A análise química constata que as amostras de vidro plano são tipicamente sodo-cálcicos, ou seja, compostas por sílica, soda e cal e com adições óxido de magnésio e alumina. Analisando-se a absorção de água, a retração linear e a tensão de ruptura à flexão das cerâmicas em função da temperatura de queima, nota-se respectivamente que a medida que se aumenta a temperatura de queima em todas as composições ocorre: uma redução da absorção de água, um aumento da retração linear, um aumento da resistência mecânica.Tudo isso ocorre devido aos mecanismos de sinterização que aproxima as partículas e reduz a porosidade. Percebe-se que o resíduo de vidro analisado é benéfico para a cerâmica vermelha. Na temperatura de 850oC, houve uma redução significativa da absorção de água da argila. Já na temperatura de 1050oC, além da redução da absorção de água, houve um aumento da retração linear e da tensão de ruptura.
Publicado
02-04-2013