A GESTÃO DA INOVAÇÃO E CAPACIDADE COMPETITIVA: UMA ANÁLISE NÃO PARAMÉTRICA NO SETOR CERÂMICO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES – RJ

  • Adriano Fonseca da Rocha
  • Manuel Antonio Molina Palma
Palavras-chave: Inovação, Competitividade, Cerâmica Vermelha

Resumo

No atual cenário de competição acirrada, a capacidade de inovar se faz fator chave para o desempenho empresarial sendo uma fonte de obtenção de vantagens competitivas. A presente pesquisa objetivou esboçar um diagnóstico da inter-relação entre as principais variáveis de desempenho e a capacidade de inovar das empresas que trabalham no setor de cerâmica vermelha no município de Campos dos Goytacazes Foi realizado um estudo de casos múltiplos de caráter exploratório e descritivo em cinco empresas campistas com características diferenciadas. Aplicou-se um questionário semiestruturado a profissionais das empresas ceramistas que tivessem familiaridade com o negócio. De posse dos dados obtidos na etapa inicial analisados segundo a técnica de análise de conteúdo, foi realizada uma pesquisa survey não paramétrica a fim de ratificar as informações iniciais, além de verificar relações entre conceitos. O nível de concordância entre os respondentes das 20 empresas estudadas na etapa final foi verificado através do coeficiente de concordância de Kendall A relação oferta/demanda no setor se mostrou sazonal. Quanto aos concorrentes locais, todos têm condições semelhantes de estrutura, porém, não há uma interação considerável entre as empresas. Estas, não possuem fontes específicas de idéias, sendo a mão-de-obra o principal limitante de inovações. Quanto aos domínios da inovação: com relação ao produto as empresas se mostraram altamente tradicionalistas, com raríssimas mudanças; sobre o processo, os respondentes disseram introduzir modificações regularmente, entretanto, são alterações sutis, nenhuma mudança de maior impacto foi encontrada; na organização, as empresas não demonstraram inovar na gestão ou nas suas estratégias e metas A capacidade de inovar se mostrou baixa nas empresas do setor de cerâmica vermelha de Campos dos Goytacazes. Essa deficiência provém de fatores como: mão de obra desqualificada; falta de visão inovadora; baixa cooperação interorganizacional; falta de incentivos e programas que favoreçam a inovação
Publicado
08-04-2013