EDUCAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE RENDA NO NOVO MEIO RURAL BRASILEIRO.

  • Hadma Milaneze de Souza
  • Marlon Gomes Ney
Palavras-chave: Meio rural brasileiro, Distribuição de renda, Educação

Resumo

Em todo o Brasil e nas cinco grandes regiões, estudar-se-á, no meio rural, a maior estabilidade da desigualdade de renda entre pessoas ocupadas na agricultura se comparada à indústria e serviços. Será analisada também a contribuição das atividades agrícolas e não-agrícolas para as diferenças na renda domiciliar “per capita” e a influência da educação sobre a formação da renda do trabalho. Serão utilizadas informações referentes às pessoas residentes em domicílios particulares permanentes, recolhidas nas PNAD de 2001 até 2009 e os microdados dos Censos Demográficos de 2000 e 2010. Analisaremos as mudanças no perfil educacional da população rural como um todo, da relativamente pobre, intermediária e a mais rica, estimando a escolaridade média e a proporção de pessoas com os seguintes níveis educacionais: inferior a 1 ano, 1ª a 3ª série, 4ª série, 5ª a 7ª série, fundamental incompleto e completo, superior incompleto e completo. Através desses dados observar-se-á as relações entre renda e educação no meio rural. A pesquisa está em fase inicial, que corresponde à leitura e sistematização de novas biografias. A partir das leituras espera-se analisar: a-) os motivos pelos quais a desigualdade de renda na agricultura é superior à observada na indústria e no setor de serviços; b-) as razões pelas quais as disparidades de renda no setor primário tem como principal determinante a distribuição da riqueza (principalmente a posse de terra), seguida pela educação e desigualdades regionais; c-) por quais motivos quando se leva em consideração as pessoas ocupadas em todos os setores de atividades a escolaridade é a variável de maior efeito na conformação da renda. Mesmo que sejam obtidos resultados inesperados, as leituras realizadas até o momento levam a crer que, por causa do crescimento das atividades rurais não-agrícolas, a educação deve exercer uma forte influência na renda rural, sendo inclusive maior do que o efeito da distribuição da posse da terra.
Publicado
10-04-2013