DESENVOLVIMENTO DE INSTRUMENTOS PARA MODELAGEM FÍSICA EM CENTRIFUGA

  • Rodolfo Cretton Souza
  • Sérgio Tibana
Palavras-chave: Instrumentação, modelos físicos, calibração.

Resumo

Estudos em centrífugas geotécnicas demandam o desenvolvimento de equipamentos específicos para instrumentar modelos físicos. Assim como os modelos que são construídos em escala reduzida, os instrumentos também devem ser em miniatura. Neste contexto foram desenvolvidos o mini-vane e o mini T-bar para aplicação em modelos reduzidos, que são instrumentos para determinação de resistência não drenada em solos moles. No projeto de instrumentação do mini T-bar e do mini Vane foram definidos alguns parâmetros de dimensionamento que limitam a aplicação do equipamento. Um dos parâmetros de projeto é a força máxima que garante o funcionamento da fase elástica do material utilizado no elemento sensor. Na área de instrumentação, local onde os extensômetros são colados e interligados em forma de Ponte de Wheatstone, a superfície deve ser devidamente preparada. O extensômetro utilizado é função da geometria e da direção de deformação do elemento sensor. Após a colagem e proteção da ponte, o equipamento é calibrado e testado em testes específicos. Com a curva de calibração foi possível verificar pelo coeficiente de co-relação (R²), que a calibração foi feita de forma adequada, e os extensômetros devidamente colados de forma a fornecer leituras necessárias para futuros ensaios em centrífuga. Nesses ensaios foi utilizado o software LabView que permiti uma amigável interação entre o usuário e o sistema. Com os dados obtidos a resistência não drenada foi calculada para o mini T-bar e para o mini Vane. A instrumentação do mini T-bar e do mini-Vane foi feita com sucesso como pode ser observado nos resultados das calibrações. Os resultados obtidos nos testes realizados confirmam a aplicação desses equipamentos para a determinação da resistência não drenada.
Publicado
11-04-2013