ADENOMIOSE EM ÚTEROS BOVINOS: IHQ PARA METALOPROTEINASE-2, INIBIDOR DE METALOPROTEINASE-2, RECEPTORES ? DE ESTRÓGENO E RECEPTORES DE PROGESTERONA B.

  • Rachel Bittencourt Ribeiro
  • Raphael Mansur Medina
  • Hassan Jerdy Leandro
  • Luciano Grillo de Almeida
  • Eulógio Carlos Queiróz de Carvalho
Palavras-chave: Adenomiose, vacas, imunohistoquímica

Resumo

Adenomiose é uma enfermidade uterina, representada pela localização distópica de glândulas e estroma endometriais por entre os feixes musculares do miométrio. É uma desordem do crescimento celular, responsiva aos hormônios reprodutivos, proliferando em uma fase estrógeno-dependente. Foi um achado freqüente em vacas vazias descartadas em matadouros no Norte do Estado do Rio de Janeiro e tem sido apontada como uma das causas de subfertilidade ou esterilidade nesta e, quiça, em outras fêmeas. Foram colhidas amostras de nove vacas provenientes do matadouro (FRIGUA - Campos dos Goytacazes). Estas foram fixadas em formol tamponado neutro a 10% por, no mínimo, 48 horas. O processamento por inclusão em parafina, que precedeu a interpretação histopatológica, foi realizado no Laboratório de Morfologia e Patologia Animal (LMPA) do Hospital Veterinário (HV), da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Aquelas diagnosticadas com adenomiose foram selecionadas quanto ao grau de infiltração miometrial (superficial e profunda) e a quantidade de glândulas infiltradas (discreta, moderada e severa). A histopatologia descritiva (patologia descritiva) mostrou achados correspondentes a adenomiose em oito indivíduos. A ocorrência, a freqüência e o escore das lesões, não se repetiam obrigatoriamente nos dois cornos. Houve um predomínio da forma superficial discreta, em 13 cornos comprometidos, sendo que em dois casos, os cornos contralaterais eram superficiais moderadas e profundas discretas, respectivamente. A adenomiose nesta investigação tem sido um achado freqüente em úteros bovinos, provavelmente de fêmeas descartadas por subfertilidade ou até mesmo infertilidade, decorrentes do distúrbio.
Publicado
12-04-2013