AVALIAÇÃO DE DIFERENTES SOLUÇÕES FIXADORAS NA CONSERVAÇÃO DE PEÇAS ANATÔMICAS

  • Raphael Farruk do Amaral Agostinho
  • Rômulo Ferreira de Assumçao
  • Nina Quintanilha Costa
  • Ana Barbara Freitas Rodrigues
Palavras-chave: Formol, Soluções fixadoras, Amostras teciduais

Resumo

A busca por uma solução fixadora adequada é importante para o estudo morfológico.O tempo de fixação,tamanho da amostra e capacidade de penetração do fixador são pontos críticos para obter um material viável.A má fixação seguida de uma conservação deficiente pode comprometer a preparação e o armazenamento de peças anatômicas, permitindo a proliferação de microrganismos.Temos como objetivo testar diferentes soluções fixadoras de tecidos biológicos e avaliar a viabilidade de conservação das mesmas. Foram realizadas necropsias de cães adulto, independentes de raça ou sexo e com peso corporal médio de 15 Kg para retirada dos rins e dos pulmões. Todos os animais foram doados pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) logo após a eutanásia. A colheita foi realizada em triplicata. Diferentes soluções fixadoras: formol 5%; formol 5% + 30% de NaCl; formol 2,5%; formol 2,5% + 30% de NaCl; solução com 30% de NaCl e solução de Laskowski foram testadas. Por meio de analise visual, a eficácia das soluções em relação às amostras foi avaliada considerando os seguintes parâmetros: capacidade de conservação, alteração da cor, alteração da forma, presença de contaminantes e a viabilidade histológica. Como resultados preliminares, as amostras fixadas com formol 5% vêm apresentando um melhor resultado quando comparadas às amostras fixadas em formol 2,5%. As amostras fixadas em formol 5% apresentaram consistência firme e sem áreas de aeração, caracterizando boa fixação. Não foram observados contaminantes nas peças e nas soluções fixadoras. As peças apresentaram coloração homogênea e semelhantes às que são rotineiramente fixadas em formol 10%. Apesar do formaldeído ainda ser um conservante amplamente utilizado nos laboratórios de anatomia e ser considerado o fixador padrão, temos a consciência, em função da sua toxicidade, de que devemos reduzir o seu uso e desenvolver pesquisas que nos revele outras soluções fixadoras compatíveis.
Publicado
12-04-2013