PARÂMETROS GENÉTICOS NA POPULAÇÃO UNB-2U DE MILHO PIPOCA SOB SELEÇÃO RECORRENTE

  • Wagner de Souza Siqueira Hernandes
  • Antonio Teixeira do Amaral Junior
  • Liliam Silvia Candido
  • Cássio Vittorazzi
  • Roberta Heitor Valim
Palavras-chave: Zea mays L., variabilidade, ganho genético

Resumo

O milho pipoca é muito apreciado pela população das regiões Norte e Noroeste Fluminense, e também possui elevado valor comercial. Sendo assim, torna-se uma alternativa ao monocultivo da cana-de-açúcar, que caracteriza a atividade agrícola dessas regiões. Nesse sentido, a UENF vem conduzindo um programa visando o desenvolvimento de variedade melhorada adaptada a essas regiões. O objetivo desse trabalho foi estimar os parâmetros genéticos da população UNB-2U de quarto ciclo de seleção recorrente. Os experimentos foram instalados em dois ambientes, nos municípios de Campos dos Goytacazes e Itaocara. Cada experimento instalado com 200 famílias de irmãos completos da população UNB-2U, em blocos casualizados dentro de ‘sets’, com duas repetições. Foram avaliados: número de dias para florescimento (FLOR), altura de planta (AP), número de plantas acamadas (NPA), estande final (NP), número de espigas (NE), peso de espigas (PE), rendimento de grãos (RG) e capacidade de expansão (CE). Os dados foram submetidos à análise de variância e obtidas as estimativas da variância fenotípica, genotípica, e residual, bem como da herdabilidade, do coeficiente de variação genética e do índice de variação. Pelo teste F foi possível observar que a fonte de variação Famílias/‘sets’ foi significativa para todas as características avaliadas, evidenciando a presença de variabilidade genética na população. Verificou-se também valores significativos para a interação ambiente x família dentro de ‘set’ para NE, PE, RG, CE e FLOR indicando que as famílias não apresentaram o mesmo comportamento para tais características, nos dois ambientes. Constataram-se também grandes possibilidades de identificação de genótipos superiores para RG e CE, por apresentarem ampla variância genotípica, e valores elevados de herdabilidade, com percentuais de 58,88% e 90,19%, respectivamente. As estimativas obtidas demonstraram haver existência de variabilidade genética suficiente para ser explorada nos próximos ciclos seletivos, possibilitando progressos com a seleção, principalmente para as principais características da cultura, rendimento de grãos e capacidade de expansão.
Publicado
12-04-2013