DIVERGÊNCIA GENÉTICA ENTRE GENÓTIPOS DE FEIJÃO COMUM COM BASE EM MARCADORES ISSR.

  • Renato Santa Catarina
  • Elba Honorato Ribeiro
  • Messias Gonzaga Pereira
Palavras-chave: Phaseolus, Diversidade, ISSR

Resumo

O feijoeiro é cultivado em praticamente todo o território nacional, sendo necessárias cultivares adaptadas às diferentes condições de cultivo. A variabilidade genética é essencial para obtenção de cultivares superiores. A tecnologia de marcadores moleculares permite a detecção de diferenças entre indivíduos em nível de DNA, fornecendo medidas precisas da variabilidade genética. O objetivo deste trabalho foi analisar a divergência genética de 34 genótipos de feijão comum via marcadores ISSR. A genotipagem via marcadores moleculares foi efetuada no LMGV/CCTA/UENF. O DNA de 34 genótipos de feijão comum foi extraído conforme o protocolo Plant Genomic DNA Mini Kit. A análise via marcadores ISSR (Seqüências Internas Simples Repetidas) realizada conforme a metodologia de Zietkiewicz et al. (1994). Foi feita uma triagem com 65 primers, sendo selecionados 14 deles. Os fragmentos obtidos foram utilizados para elaboração de uma matriz de dados binários. O complemento aritmético do Índice de Jaccard foi utilizado para obtenção da matriz de dissimilaridade genética. O agrupamento dos genótipos foi realizado pelo método de Tocher. Para as análises utilizou-se o programa GENES (Cruz, 2009). Os 14 primers utilizados geraram 76 fragmentos de DNA, 47 polimórficos e 29 monomórficos. Média de 3,36 fragmentos polimórficos por primer. A maior distância foi observada entre os genótipos 12 e 121 (Dij = 0,33871), sendo os mais divergentes, resultado condizente já que estes genótipos não compartilham parentais comuns. A menor distância foi observada entre os genótipos 30 e 31 (Dij = 0,0625), sendo os mais similares, o que é esperado pois os dois possuem mesma genealogia. Pelo método de Tocher foram obtidos seis grupos. Os grupos 1 e 2 agregaram a maioria dos genótipos, 17 e 9, respectivamente. O grupo 6 foi composto apenas pelo genótipo 4, sendo o mais dissimilar em relação aos demais. Na análise de agrupamento foram obtidos seis grupos, sendo que aproximadamente 76% dos genótipos ficaram agrupados nos grupos 1 e 2.
Publicado
12-04-2013