AÇÃO BACTERICIDA DA LASERTERAPIA DE BAIXA POTÊNCIA E DA TERAPIA FOTODINÂMICA EM PSEUDOMONAS AERUGINOSA E STAPHYLOCOCCUS AUREUS: ENSAIOS IN VITRO

  • Vivian Kreppeke Silva Santos
  • Márcio Manhães Folly
  • Helen Monteiro da Silva
Palavras-chave: Laser, Bactérias, Efeito bactericida

Resumo

A laserterapia vem sendo utilizada em diversos campos médicos. Uma de suas formas de aplicação consiste no uso de corantes para aumentar a absorção da luz laser pela célula alvo, a Terapia Fotodinâmica. Embora, alguns estudos comprovem o efeito bactericida do laser, há ainda poucos trabalhos que forneçam dados sobre esse tema. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo averiguar a ação bactericida da laserterapia em cepas de Pseudomonas aeruginosa e Staphylococcus aureus in vitro. As amostras foram obtidas no Setor de Bacteriologia do Laboratório de Sanidade Animal (LSA/CCTA/UENF). Após a obtenção da colônia pura foi feito um inóculo na escala 0,5 MacFarland e adicionado o corante azul de toluidina O (1%). O inóculo foi espalhado em placas de Petri contendo ágar Müeller Hinton. A irradiação foi realizada pelo laser veterinário Laservet/Brasil, a uma distância de 0,5 cm, no comprimento de onda do vermelho 658nm, no modo contínuo, utilizando potência de saída de 100mW, nas fluências de 3, 5, 10, 16 e 18J/cm². Foram utilizadas duas técnicas, a primeira utilizando como parâmetro de leitura os halos de inibição de crescimento microbiano e a segunda a contagem em placas. Foram avaliadas 18 cepas de Staphylococcus aureus e 8 cepas de Pseudomonas aeruginosa. Na técnica de inibição de crescimento microbiano por formação de halos, os resultados demonstraram que 6 cepas de S. aureus apresentaram em alguma das repetições formação de halo de inibição de crescimento. Para P. aeruginosa não houve inibição de crescimento nas fluências aplicadas. Não ocorreu formação de halo inibitório no controle. Os resultados encontrados através da técnica de contagem em placas foram inespecíficos. Conclui-se, que a laserterapia foi capaz de produzir um efeito bactericida em Staphylococcus aureus, e que em Pseudomonas aeruginosa não foi observada a ocorrência de efeitos inibitórios de crescimento microbiano.
Publicado
15-04-2013