ANÁLISE MORFOLÓGICA, TOPOGRÁFICA E DO SUPRIMENTO SANGUÍNEO DA GLÂNDULA TIREÓIDE EM CÃES (CANIS FAMILIARIS)

  • Raqueld Ribeiro e Aguiar
  • Rômulo Ferreira de Assumção
  • Ana Bárbara Freitas Rodrigues
Palavras-chave: Morfologia, Tireóide, Cão

Resumo

O conhecimento da anatomia tem aplicação direta em muitas áreas de especialização dentro da biologia. O cirurgião, o veterinário, o embriologista experimental, o neurofisiologista, o paleontólogo, o patologista, todos devem estar familiarizados com a estrutura de seus materiais de estudo. Em função da alta atividade funcional da glândula tireóide, é relevante o conhecimento de alguns de seus parâmetros como: morfologia, topografia, irrigação e histoarquitetura. Com o intuito de aprofundar o conhecimento do dados morfológicos da glândula tireóide de cães serão utilizados mais 30 cadáveres de cães. Os exemplares serão identificados, pesados e agrupados segundo as diferentes faixas etárias. Por meio de uma incisão látero-dorsal esquerda, ao nível do 9º espaço intercostal, a artéria aorta, será acessada e canulada para injeção de solução aquosa de Neoprene Látex. Em seguida, os animais serão acondicionados em recipiente contendo solução de formol a 10%, para fixação. Após este período, os cães serão dissecados, que consistirá na exérese das estruturas até o acesso à tireóide, que será avaliada por meio de parâmetros morfométricos e morfológicos. . Diante da escassez de dados morfológicos referentes ao estudo da glândula tireóide, torna-se necessário o conhecimento anatomotopográfico da mesma. Nosso estudo visa descrever a topografia, a morfologia, a arquitetura vascular e a histoarquitetura da glândula tireóide de cão.
Publicado
18-04-2013