AVALIAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS PREDITIVAS PARA METÁSTASES DE NEOPLASIAS MAMÁRIAS EM CADELAS

  • Lívia Gomes Amaral
  • Sheila Nogueira Ribeiro
  • Daniela Fantini Vale
  • André Lacerda de Abreu Oliveira
Palavras-chave: Tumor de mama, Receptor para estrógeno, Cadela

Resumo

A função dos receptores hormonais nas neoplasias tem sido exaustivamente estudada. Acredita-se que exista relação entre o número de receptores e a capacidade proliferativa das células neoplásicas. A ovariohisterectomia (OH) é recomendada como terapia adjuvante, para evitar recidiva pelo estímulo do estrógeno. Porém, sua importância ainda não está esclarecida. O objetivo do trabalho é avaliar as características do tumor de mama, com vista a diminuir sua recidiva e metastases. Para isso, utilizamos 10 cadelas com tumores de mama, da rotina do Hospital Veterinário da UENF. Fizemos o estadiamento tumoral pelo sistema TNM (Tumor-Nódulo-Metástase). Exames pré-cirúrgicos como ultrassom (US) abdominal radiografia (RX) do tórax, hemograma e bioquímica sérica foram exigidos. Foram realizadas 11 mastectomias radicais unilaterais e exérese de quatro linfonodos inguinais. A OSH foi realizada somente em cadelas que apresentaram, no exame ultrassonográfico, alguma doença do foro reprodutivo. O tipo de tumor foi verificado por análise histopatológica. O próximo passo será a avaliação da presença de receptores de estrógeno, nessas neoplasias, por imunohistoquímica. Apenas uma cadela apresentou alteração pulmonar no RX, com metástase não confirmada por toracoscopia. Nenhuma teve alteração no US sugestiva de metástase abdominal. Porém, 50% apresentaram alterações compatíveis com ovários císticos, dessas, 30% tiveram como diagnóstico morfológico tumor misto de mama benigno. Foram retirados e avaliados morfologicamente 14 nódulos, 50% menores que 3cm, 14,3% entre 3-5cm e 35,7% maiores que 5cm. As neoplasias benignas representaram 64% e as malignas 35,7%. A neoplasia mais frequente foi tumor misto de mama benigno (35,7%). Alterações como congestão/edema, hiperplasia, dilatação e metástase, foram encontradas em quatro linfonodos inguinais, respectivamente. Acreditamos que o estudo dos receptores para estrógeno juntamente com o estadiamento do tumor, o comprometimento dos linfonodos e o grau de malignidade histológica tornam-se excelentes fatores preditivos para metástase, orientando no tratamento e no prognóstico da doença.
Publicado
19-04-2013