BALANÇO HÍDRICO E DISTRIBUIÇÃO RADICULAR DO GIRASSOL E DO AMENDOIM CULTIVADOS EM ÁREAS DE REFORMA DE CANAVIAIS NO NORTE FLUMINENSE

  • Gabriella Almeida Nogueira Linhares
  • Cláudio Roberto Marciano
  • Fábio Cunha Coelho
  • Elias Fernandes de Sousa
Palavras-chave: Evapotranspiração, Armazenagem de água no solo, Fluxo de água no solo

Resumo

Oleaginosas de ciclo anual, como girassol e amendoim, que podem ser usadas na reforma das áreas de canavial, têm maior chance de aceitação por parte dos produtores, pois permitiria diversificar a produção e a fonte de renda sem obrigar a mudança na atividade principal, que continuaria a ser a cana-de-açúcar. O objetivo do presente trabalho é avaliar o desenvolvimento radicular e a demanda hídrica do girassol e do amendoim cultivados em áreas de reforma de canaviais do Norte Fluminense. Amostras de solo serão coletadas, sendo as indeformadas utilizadas para caracterização química e física (densidade de partículas e granulometria) e as indeformadas (coletadas em anéis volumétricos) para determinação da curva de retenção de água, da densidade e da porosidade total do solo. Após implantação das culturas, os componentes do balanço hídrico serão monitorados, sendo as lâminas de precipitação e irrigação obtidas a partir de pluviômetros, enquanto a drenagem profunda, ascensão capilar e variação de armazenagem obtidos a partir de tensiômetros, sensores de umidade e coleta de solo. Se for necessário (áreas não planas), o deflúvio superficial de entrada e saída também será estimado. Os dados climatológicos serão obtidos junto à estação meteorológica mais próxima (INMET, LEAG, UFRRJ/Campus Leonel Miranda, etc.), sendo utilizados para a estimativa da evapotranspiração de referência (ETo) diária. Através deste será estimado o coeficiente de cultura (Kc = ETp / ETo), tornando possível estimar o fator de disponibilidade de água no solo (Ks) ao longo do ano. Por fim, na fase de maturidade fisiológica das plantas (pico do florescimento) será realizada a caracterização da distribuição do sistema radicular, por meio da coleta de solo e separação/quantificação das raízes. Além de conhecer o consumo hídrico da cultura para a região, a expectativa é que se estabeleça relações entre a distribuição radicular e a extração de água nas diversas camadas do solo.
Publicado
22-04-2013