DETECÇÃO DE TRAÇOS DE AMÔNIA ATRAVÉS DA ESPECTROSCOPIA FOTOACÚSTICA NO ESTUDO DE NOVOS FERTILIZANTES NITROGENADOS.

  • Flávio Rodrigues de Souza
  • Sâmylla Cristina Espécie Bueno
  • Heitor G. Riter
  • Milton Baptista Filho
  • Marcelo Gomes da Silva
Palavras-chave: Espectroscopia fotoacústica, fertilizante nitrogenados, amônia

Resumo

A utilização de fertilizantes nitrogenados desempenha um papel importante para o agroeconômico, objetivando a aplicação de tais compostos no solo para o cumprimento da demanda necessária para o cultivo de plantas. Porém, grande parte do fertilizante é perdida para meio por volatilização e lixiviação resultando na contaminação da atmosfera e de reservatórios de água. Com o objetivo de monitorar a perda de amônia em fertilizantes granulados a espectroscopia fotoacústica foi empregada. Dois granulados (a base de estilbita e concentrado zeolítico) e uréia pura (99%) foram analisados. Com um diodo laser de cascata quântica, as quantidades de amônia emitidas pelas amostras foram quantificadas. N2 gasoso passando por uma solução contendo 10 mL de água destilada e 1 mL de solução de urease, permitiu que gotículas de água mais urease fossem transportadas para o porta-amostra (aquecido a 30º C) contendo 0,10 g de fertilizante granulado (ou uréia pura) estimulando emissão de NH3. Uma armadilha fria (N2 líquido) foi utilizada para eliminar água da amostra gasosa, evitando assim a estimulação de emissão de NH3 das paredes internas do sistema de detecção. Os resultados da taxa de emissão de NH3, utilizando a espectroscopia fotoacústica, mostraram que para ureia pura (sem a adição da solução de uréase) praticamente não houve produção e emissão de NH3. Porém, quando a solução de urease foi adicionada, obteve-se a maior taxa de emissão de V. Com relação aos granuladosmNH3, gerando um sinal fotoacústico de quase 500  zeolíticos, observou-se que aquele contendo estilbita liberou mais NH3 do que o outro contendo o concentrado zeolítico, numa proporção de 4 para 3. Provavelmente o material com estilbita possui mais sítios ácidos de adsorção do que o granulado que contem o concentrado zeolítico, resultando em maior capacidade de troca catiônica. De acordo com os resultados obtidos, o granulado que contém a zeólita do tipo estilbita tem a capacidade de reter e emitir maior quantidade de NH3. Apesar da maior eficiência apresentada pela estilbita, o concentrado zeolítico ainda vantagem de ser um produto nacional de baixo custo.
Publicado
25-04-2013